Hoje atende ontem

GT DA BROTHERAGEM

2020.09.14 13:44 JustCallMeLyraM8 GT DA BROTHERAGEM

GT DA BROTHERAGEM
/cc/
>eu tenho um amigo bem próximo
>amigo não
>ele é tipo um irmão
>amo aquele filho da puta
>vamos chamar ele de Maicão
>nos conhecemos no jardim da infância
>dividíamos o todynho e o biscoito passatempo no recreio
>bolachaéocaraio.mp3
>estudamos na mesma turma até a quinta série quando os pais dele se mudaram pra longe da escola
>ele continuava morando na mesma cidade, mas tava numa escola diferente
>ainda assim nos víamos todos os fins de semana
>nossas famílias se tornaram amigas também
>tudo era um mar de rosas até o final de 2004
>ano 2005
>entra uma aluna nova na minha turma
>o nome dela era Thais
>lembro como se fosse ontem do momento em que ela entrou na sala
>tudo parecia ter ficado em câmera lenta
>o sol batia nela
>o ventilador soprou seus cabelos
>ela marchava como uma égua manga larga do trote formoso
>paudureci naquele exato momento
>o foda é que eu tava em pé naquela hora e a primeira aula era de educação física
>short.gif
>todo mundo da sala começa a rir de mim e a gritar
>me chamaram de pau retrátil porque foi só a menina aparecer que ele subiu
>morri de vergonha naquela hora
>sentei na cadeira e pus a mochila no meu colo
>eu só queria sumir
>até a professora riu
>mas a Thais não
>ela sentou atrás de mim e disse pra eu não ligar pra eles e que eu ficava lindo com vergonha
>caraio vei não pude acreditar
>eu era tão tímido que pedi pra ir no banheiro na mesma hora e fiquei trancado lá até a hora do recreio
>quando o recreio chegou eu pus o dedo na goela na frente da sala dos professores
>acho que vomitei até meu intestino naquela hora
>comecei a dizer que tava passando mal
>os professores me liberaram da escola e fui pra casa mais cedo
>chego em casa e passo a tarde toda tendo fantasias masturbatórias com a Thais
>eu era tão beta quanto aqueles peixes de briga
>quando a noite chega eu corro pra casa do Maicão
>conto tudo pra ele feliz da vida
>Maicão fica feliz por mim
>brodagem.rar
>segue o jogo
>durante o resto do ano eu iria me aproximar cada vez mais da Thais e me afastar cada vez do Maicão
>ele dizia que ela tava me afastando dele mas eu discordava
>dizia que era coisa da cabeça dele
>o tempo passa
>a Thais é promovida à pitanguinha e a distância entre mim e meu brother ia aumentando cada vez mais
>um dia briguei feio com o Maicão quando ele disse que ela tava cmg só por conta do meu dinheiro
>eu não era rico, mas da escola eu era o mais bem de vida
>meu pai era o único que não tava preso e não trabalhava com drogas
>minha mãe não trabalhava na zona
>zoas ela trabalhava sim
>ela agenciava a tua mãe, aquela puta boqueteira
>zoas de novo, minha mãe era artista plástica
>um dia eu acabo falando pra Thais que o Maicão tava se sentindo escanteado
>ela começa a me dizer que era inveja do nosso relacionamento e que ele só queria nos separar
>acabo dando ouvidos a ela e brigando feio com ele
>putaquepariuqueburrice
>nunca devia ter dado ouvidos à ela
>foco no gt
>paro de falar com o Maicão e cada vez mais me entrego pra a Thais
>toda semana era cinema
>lanche na Mc Donald’s
>roupa na Marisa
>minha mesada começou a ser exclusivamente dela
>um belo dia recebo uma mensagem do Maicão dizendo que a Thais tava me traindo
>respondi mandando ele tomar no cu
>ja faziam uns 5 meses que eu não falava com ele e do nothing ele vinha com um papo desses
>ele disse que eu devia ficar atento aos sinais
>não dou a foda pro que ele diz e continuo o namoro
>na semana seguinte vejo ela com uma marca roxa no pescoço
>ela diz que tinha caído da escada
>eu disse que acreditei mas fiquei desconfiado
>nada me tirava da cabeça oq o Maicão tinha me dito
>procuro ele e conto oq aconteceu
>diferente de mim ele não era um filho da puta
>Maicão me ove e depois me conta tudo que sabia
>a Thais tinha vindo da escola em que ele estudava
>ela era conhecida como viúva negra na escola
>ela se prendia à um macho e sugava tudo dele até ele não ter mais nada
>sim, ela tmb sugava o pau
>não, ela não tinha sugado o meu ainda
>Maicão continua a história dizendo que tinha visto ela saindo da casa de um carinha que morava no mesmo bairro dele
>até aí não vi nada demais
>mas ele me disse que ela tinha dado um beijo na boca do cara na saída e quando virou de costas o cara deu um tapa na bunda dela
>ÉOQ?!
>aquela vadia não tinha nem sequer me deixado pegar na bunda dela ainda
>dizia que era só depois do casamento
>eu era beta betoso full +15
>ela me levava pra igreja todo domingo
>acreditava nela sem questionar
>caio no choro e o Maicão me consolou
>disse que eu não tava sendo um bom amigo mas que ele nunca deixou de me ter como irmão
>bolamos desmascarar ela juntos
>ela ia pra casa dele toda sexta de noite
>realizo que era a hora que a mãe dela saía de casa pra ir pro culto de oração da igreja
>caraio_como_sou_burro.jpeg
>chifre.rar
>no dia seguinte falo com a Thais como se nada tivesse acontecido
>ela diz que me ama
>digo que amo ela tmb
>caraio, eu queria matar ela ali naquela hora
>mas amava aquela desgraçada
>feelsbad.png
>sexta feira
>19h
>tava com o Maicão escondido na rua da casa dela
>avistamos a mãe dela saindo de casa
>corremos pra mãe e contamos a história
>mãe não acredita, mas topa ir com agnt até a casa do talarico
>19:30h
>Thais sai de casa com um short enfiado no cu
>pqp pra quê enfiar tanto ssaporra?
>tava tão fundo que ela devia ta sentindo do gosto dele
>seguimos ela de longe
>a vadia entra na casa do moleque
>nessa hora a mãe dela já queria matar ela, mas eu fiz ela esperar
>entrei dando um chutão na porta da frente
>queria pegar ela com a boca na botija
>e consegui
>infelizmente a botija em questão era a rola do cara
>ela tava engolindo o pau daquele moleque com uma facilidade absurda
>nem sua mãe consegue engolir minha piroca tão fácil
>foco no gt
>Thais leva um susto tão grande na hora que morde o pau do cara
>num ato reflexo por conta da dor o cara da um murro na cara de Thais
>ela cai no chão
>a mãe dela comeca a bater nela com uma havaianas e depois começa a arrastar ela pelos cabelos pra fora de casa
>a Thais é arrastada pela rua até chegar em casa
>racho o bico com a cena como mil hienas comemorando a morte do Mufasa
>peço perdão pro Maicão pela cagada que fiz
>Maicão diz que fui um idiota, mas que era o irmão dele e que nada iria nos separar
>dois dias depois Thais chega na escola toda roxa
>tinha apanhado tanto que o conselho tutelar tirou a guarda dela da mãe
>ela chega perto e diz que quer falar CMG
>ignoro
>ela me puxa pelo braço, olha no meu olho e diz:
>como vc descobriu?
>digo que o Maicão me contou tudo
>ela diz que vai pra um orfanato hoje. Só foi na escola buscar sua transferência.
>Kkkkkjkkjjjk
>ela diz que eu posso rir agora, mas quem ri por último ri melhor. Disse também que nunca iria esquecer aquilo e que o Maicão iria pagar por ser x9
>puxo meu braço, dou as costas e vou embora
>ano 2016
>terminei a escola e faço faculdade
>Maicão faz o mesmo curso que eu e estudamos na mesma turma novamente
>full brothers +15
>desde o episódio com a Thais nunca mais tínhamos brigado
>trabalhávamos, tínhamos nossa independência
>tudo ia bem até recebermos o convite para uma festa que rolaria naquela noite
>eu e o Maicão dividiamos o apartamento agora
>o convite veio por baixo da porta dentro de um envelope
>open_bar.jpeg
>o envelope vinha com 2 pulseiras
>as pulseiras davam acesso à área vip da festa onde rolaria os alcoolismo
>ficamos relutante por um momento até abrirmos a carta
>a carta tava endereçada à mim e ao Maicão
>era uma letra de mulher
>não tinha muita informação só dizia que não deviamos perder a festa por nada e que lá tudo seria explicado
>não tinhamos nada à fazer então topamos
>22h
>party.time.jpeg
>logo de cara fomos recebidos por duas loiras peitudas que estavam de camisa branca
>ambas estavam dançando na entrada da festa enquanto se molhavam com uma mangueira
>séélococuzão.rar
>a festa tinha uma proporção de 4 depósitos para cada homem
>a cada dois homens, um era gay
>era tipo o plenário da câmara dos deputados só que ao contrário
>quando entramos no salão principal todo mundo virou pra a gente
>tipo aquela cena do universidade monstro
>as depósitos cochichavam entre elas
>pensamos que tinha algo errado conosco mas a vdd é que éramos os caras mais lindos dali
>na vdd nem éramos isso tudo, mas tínhamos rola e éramos heterossexuais
>feelsalpha.png
>fomos andando até a área vip
>a decoração da festa era cheia de fotos de uma depósito
>era uma ruiva 10/10
>a festa devia ser dela
>tive a impressão que ja tinha visto ela em algum lugar
>áreavip.gif
>a área vip era lotada de bebidas
>não tinha uma depósito abaixo de 8/10
>no buffet tinha camarão e lagosta
>mano do céu era a festa mais foda que eu ja tinha ido
>quando olho pro lado ta o Maicão atracado com uma mina
>dois minutos depois a mina larga ele e agarra outra mina
>ÉOQ?!
>aquilo tava parecendo um bacanal grego
>uma coisa no entanto me incomodava
>quem teria nos convidado?
>avisto a anfitriã da festa, aquela ruiva 10/10
>ela se aproxima de mim lentamente
>mano do céu, paudureci na hora
>só conseguia imaginar eu enfiando o pau tão fundo nela que quando eu terminasse ia ta na camada do pré-sal
>a calça aperta e ela percebe que estou preparado para o abate
>fico sem graça e tento disfarçar
>ela vem por trás de mim, ri e diz que eu fico lindo com vergonha
>gelei na hora
>caraio, era a Thais - pensei
>pergunto se ela era a Thais
>ela ri e me chama de idiota.
>diz que seu nome é Raquel
>caraio, ela nao tinha nada a ver com a Thais
>errei feio, errei rude
>pensei que tivesse estragado minha chance
>raciocinando com a destreza de um crackudo na fissura e digo:
>é porque thaislinda com essa roupa
>ela ri, eu rio, segue o jogo
>nessas horas eu nem sabia mais que existia um Maicão
>só pensava em mergulhar naquelas tetas magníficas
>na boa, se ela fosse minha mãe eu mamaria até hj
>quando olho pro lado o Maicão tava agarrado com duas ao mesmo tempo
>bodyshot.gif
>caraio o Maicão tava levando uma surra de peito na cara enquanto bebia e eu no 0x0
>me aproximo da ruiva já na maldade
>ela chega do meu lado
>põe a mão no meu ombro e fala na minha orelha direita:
>quem é esse teu amigo?
>poooooooooooorra.mp3
>o moleque ja tinha catado duas e agora ia catar a ruiva
>tive vontade de mandar ela se fuder, mas ele era meu brother, não podia prejudicar ele
>nenhuma depósito ficaria entre nós
>não deu nem 10 minutos do momento que disse o nome dele pra ela e ela ja tava agarrada nele
>a ruiva chupava a língua dele como se fosse o último picolé do verão
>avisto uma depósito 9/10 dançando sozinha
>penso em me aproximar, mas antes que eu chegue a ruiva puxa ela e põe na roda com o Maicão
>ja não entendia mais nada
>eu sempre pegava as depósitos +/10 do que ele e agora ele tava numa orgia de bocas e eu sem nada
>começo a beber
>realizo que ta na hora de baixar as expectativas
>avisto uma ananzinha 5/5 escorada no balcão
>me aproximo dela e pergunto se o pai dela era padeiro
>ela pergunta se era pq ela era um sonho
>eu digo que era pq eu queria comer a rosca dela
>sério que anã rabuda do carai
>a anã me dá um tapão e sai de perto
>vsf que festa merda do carai
>comecei a beber descontroladamente pra compensar a frustração
>dou em cima da garçonete
>a garçonete era uma trans
>ela me esnoba e vai embora
>vômito.rar
>caraio nem a mulher com rola me quis
>decido que hoje não é meu dia e que ta na hora de voltar pra casa
>procuro o Maicão pra ir embora cmg
>vejo ele entrando no carro com duas 1,5 depósitos
>pensei que ele tivesse indo pra um motel ou algo do tipo
>ele tava de mãos dadas com a ruiva e com a anã 5/5
>a ruiva olha pra mim, da uma risada e depois um xauzinho
>caraio que raiva daquela ruiva
>me esnobou e agora vai dar pro meu brother
>faço sinal pro Maicão que vou embora
>ele grita “Oklahoma”
>era nosso sinal secreto
>significava que ele ia realizar o ato de socação intra uterina e que eu não deveria incomoda-lo
>entendo o recado, dou meia volta e volto pra casa
>chegando em casa
>tudo girava por conta do álcool
>brinco um pouco com o o Visconde de Sabugosa até ele cuspir
>durmo
>no dia seguinte acordo com dor de cabeça, deitado no sofá
>percebo que tinham 537272717 chamadas não atendidas no meu celular
>todas do Maicão
>imagino todas as desgraças do mundo
>comeco a ligar de volta mas ele nao atende
>recebo uma ligação de um número desconhecido no meu celular
>é uma mulher
>ela ria descontroladamente
>disse que estava na festa o tempo todo me observando
>pergunta se a noite foi boa e se eu peguei alguém
>mando ela tomar no cu e digo que peguei a mãe dela
>ela racha o bico e diz que é impossível pq a mãe dela foi a primeira a pagar oq devia
>gelei na hora
>reconheci a voz
>era a Thais
>ela começa a contar seu plano do mal
>diz que foi parar num orfanato depois daquele episódio
>que apanhou muito da família onde foi parar mas a família era podre de rica
>a família produzia festas tipo o tomorrowland
>viajaram pra fora do país e levaram ela junto
>disse que por muito tempo quis se vingar mas a família não dava a foda
>dois meses atrás a família tinha morrido num acidente de carro e ela ficou como única herdeira
>ela pôs como meta de vida concluir a vingança que passou anos arquitetando
>disse que a festa foi planejada por ela
>que todas as depósitos da área vip foram contratadas por ela baseadas no meu tipo de mulher
>pergunta como me senti não pegando ngm e vendo o meu “amiguinho” catando todas
>respondo que a vingança dela era uma merda e que tava feliz pelo meu brother
>ela racha o bico e diz que a vingança dela não era me deixar sem pegar ngm
>ela queria se vingar dele por ele ter dedurado ela
>pergunto qual vingança há em encher a rola dele de depósito
>você verá - ela me disse
>desligo o espertofone e percebo que chegou uma mensagem do Maicão no oqueapp
>faz uma semana que o Maicão toma mais coquetel que o Amaury Jr.
pica relatada da mensagem
https://preview.redd.it/9o5g9y8ep3n51.jpg?width=1080&format=pjpg&auto=webp&s=3dbefd7c59d10e7b40b9168ddac79176762f8591
submitted by JustCallMeLyraM8 to gtsdezbarradez [link] [comments]


2020.07.28 00:29 Math2611 Ansiedade

Ontem eu fui para o hospital com pressão alta e o coração acelerado, depois de ter feito um exame o médico disse que era ansiedade. Ultimamente eu to com minha cabeça cheia com várias coisas, não consigo tomar decisões simples como escolher um poder em um jogo ou o que comer, além disso tem a psicologa que me atende gratuitamente mas acho que ela está se cagando pra mim, tenho problemas em me relacionar com as pessoas, até mesmo mandar uma mensagem parece que eu vou morrer, tenho problema com toda a minha família e pra piorar é questão de tempo até eu ter que me abrir sobre a minha orientação sexual e provavelmente tenho quase certeza que vou ser abandonado.
Estou tendo problemas com as atividades, não consigo fazer mais nada pq acumulei muito e fico pensando demais nos meus problemas que acabo esquecendo ou não querendo me importar mais com o estudo, ainda tem o problema de eu ser líder de sala e não cumprir minhas responsabilidades.
Acabei de ter que conversar com meu pai que parou entrar em contato comigo na minha infância e ele vive me chamando para ir na casa dele mas eu não me sinto confortável em ter que ir na casa dele, como falei tenho problemas com as pessoas eu muitas vezes me mantenho calado ao invez de falar algo (até quando eu acabei cortando o meu joelho eu acabei ficando calado e quieto sobre isso, foi a mesma coisa com essa ansiedade ontem). Eu passei muito tempo achando que essa psicologa seria a solução para mim a minha salvação e tudo iria melhorar agora, mas ela se tornou um problema para mim agora.
Estou bastante estressado hoje, sem motivo discuti com minha vó pq toda hora ela falava que eu não ia saber tomar o remédio e tive que explicar umas três vezes pra ela, minha mãe ligou perguntando a mesma coisa achei que minha vó tinha mandado ela ligar ai eu discuti com ela e ela me xingou e acabou desligando, ai agora me sinto culpado mas não consigo demonstrar meus sentimentos. Seria uma maravilha se agora eu já estive no tratamento e estivesse vivendo outra vida, de noite fico me imaginando conversando com um psicologo meus problemas e tentando resolver eles mas como é tudo imaginação não chego a lugar nenhum.
Acho que a melhor solução pra mim agora é bloquear essa psicologa em tudo e focar em procurar algum psicologo que atenda online com um preço barato para mim, mas tenho medo de que eu acabe gastando dinheiro a toa e eu continue assim.
submitted by Math2611 to desabafos [link] [comments]


2020.07.01 15:50 anrfp Cidade pequena

Quando me mudei pra uma cidade muita pequena do sul de minas comecei a ficar meio indignado com algumas atitudes das pessoas da cidade e não consigo entende-las até hoje, acabei saindo por alguns anos desta cidade, mas agora com a pandemia tive que voltar pra casa dos meus pais, desde então tenho presenciado algumas situações que voltaram a me incomodar, como quando morava aqui. Uma coisa que me deixa indignado ao extremo é que quem tem comércio, é de uma família "rica", ou tem alguma influência por algum outro motivo, acha que está acima da lei. Mesmo isso não sendo exclusividade de uma cidade pequena, algumas atitudes aqui foram inéditas pra mim, como subir o preço de um produto em um horário que é o único lugar aberto da cidade, vender coisas muito acima do preço, pela cidade ser pequena e os moradores não terem variedade de comércios para escolher, marcarem um horário de atendimento e não aparecerem no dia, fora outras pequenas atitudes no atendimento que me tiram do sério, que normalmente acontecem quando o dono do lugar ou algum parente te atende, quando é um funcionário o atendimento costuma ser melhor. Por não ser uma pessoa conhecida na cidade, onde vou é comum as pessoas me perguntarem onde moro, dependendo de como perguntam acho até legal pq parece que querem ser simpáticos puxando assunto, mas ontem mesmo do nada um cara velho que nunca vi na vida, chegou e me perguntou onde eu morava, eu falei e depois o cara virou a cara e não falou mais nada, são atitudes como essa que me deixam puto as vezes, o cara parecia que queria me intimar, do nada. Outra coisa que acho muito sem noção das pessoas é que você não pode ter nada de bom, se tem acham q você é rico, ou se você não tem família rica na cidade e não te conhecem é pior ainda, te questionam até se a casa que você mora não é alugada (isso já aconteceu comigo), sabendo dos detalhes e conhecendo as pessoas sei o pq desse julgamento, mas como não da pra provar nada e o texto ficaria muito extenso é melhor não expor. Enfim, fica aí minha indignação, isso aí é só a pontinha do iceberg, infelizmente não me sinto a vontade pra falar sobre outras coisas pq acabaria dando muita informação e se tem uma coisa que quero aqui é ser quase invisível hoje em dia e sair o mais rápido que der.
submitted by anrfp to desabafos [link] [comments]


2020.06.28 17:52 moobe_ Sou babaca por pressionar minha prima a dizer a verdade?

Oi, Luba. Prazer. Eu vim contar uma situação que aconteceu de ontem pra hoje e perguntar se fui a babaca.
Um "pouco" de contexto primeiro:
Bom, eu recentemente vim morar com minha mãe, depois de sete anos sem ter muito contato com ela. Quando cheguei aqui, ela e minha prima (que mora com ela desde 2016) já estavam passando por tensões no relacionamento delas.
Minha prima, por assim dizer, é uma pessoa muito reservada e brinca muito sobre tudo, jamais contando o que realmente se passa em sua cabeça. Ela prefere guardar as coisas pra ela do que tentar resolver no diálogo (resultado de muitas vezes em que ela tentou se abrir e não foi ouvida) e também esconde muitas coisas da minha mãe, que ela prefere não contar pra não ter mais tensão na relação delas duas.
Detalhe que nos tornamos muito próximas desde o momento em que cheguei e eu sempre tentava entender o lado das duas na situação de tensão no relacionamento delas.
Ok, agora vamos para uma situação mais recente.
Pouco mais de um mês atrás, ela pediu pra minha mãe para ir visitar uma amiga dela (que na verdade estava se tornando o amor de sua vida, mas ela queria esperar pra ter certeza de que elas dariam certo) e também pediu para dormir lá, o que minha mãe não aprovou muito, mas não discutiu tanto.
O que deu a entender que ela tinha deixado ela ir. E quando eu digo que "deu a entender", é exatamente isso que eu quero dizer.
Quando estava passando das 19h, minha mãe começou a se desesperar, achando que algo tinha acontecido com minha prima pra ela demorar tanto pra voltar pra casa, achando que ela iria voltar no mesmo dia, quando na verdade minha prima tinha se preparado pra ir dormir com a amiga dela.
Deu um problemão, um b.o todo e minha mãe brigou com minha prima pra caramba (até a mãe da minha prima foi envolvida e ela ficou muito abalada psicologicamente), o que quase destruiu a relação delas.
Tempos passaram e elas duas se acertaram pouco a pouco. Minha prima disse que ia melhorar a relação com minha mãe (parar de tentar esconder as coisas e ser mais aberta) e minha mãe meio que estava tentando ser menos paranóica.
Agora vamos para a situação de ontem pra hoje.
Minha prima, quando estava para dar umas 23h, me disse que ia comprar um lanche enquanto saía com um amigo. Que iria demorar no máximo uma hora e já voltava pra casa. E eu fiquei esperando.
Umas 01h46 da manhã ela me ligou avisando que só estava pegando o lanche e já estava vindo pra casa, eu avisei ela que já estava tarde e que ela tinha que voltar. Beleza.
02h23 da manhã, eu liguei de novo e mandei mensagens; quase que ela não me atende e quando atendeu, estava com a voz sonolenta e grogue. Disse que deu uma soneca, mas já estava voltando pra casa. Eu chamei a atenção dela, mas esperei ela voltar.
Quando estava para dar 03h da madrugada, eu comecei a mandar mensagens e ligar (já estressada e chateada) e quando ela atendeu, estava dormindo de novo e eu fiquei puta.
Perguntei onde ela estava, se já estava chegando e porque estava demorando tanto. Ela só me deu respostas vagas e eu fiz um discurso todo falando que não tinha problema que ela dormisse fora, contanto que me contasse com antecedência. Que se não fosse eu ligando pra ela, ela nem dava sinal de vida e eu iria passar a noite sem saber onde ela estava.
Pra resumir tudo, ela só me disse que estava tudo bem e que a gente conversava quando ela chegasse em casa.
(detalhe que tudo isso era feito escondido da minha mãe, já que a gente só disse que ia comprar lanche pra a gente comer antes de dormir)
Já cansada e estressada (chorando de raiva), eu fui dormir e deixei tudo pra lá.
Ela só chegou depois das 08h. Beleza.
Horas mais tarde, minha mãe que estava na casa do meu padrasto, pediu pra a gente ir até lá pra almoçar, eu aceitei e disse que estávamos indo.
Antes da gente sair, chamei minha prima pra conversar e disse o quanto estava chateada. No meio da conversa, descobri que ela tinha ido pra outra cidade também e que tinha ido numa festa. Fiquei super chateada, mas só disse o que precisava dizer e a gente ficou estranha o caminho todo até a casa do meu padrasto.
Quando chegamos na casa dele e terminámos de almoçar, minha mãe (que sonha com coisas e sente uns bagulho estranho), veio perguntar se tinha acontecido alguma coisa de madrugada, porque ela tinha sonhado que alguma coisa acontecia com nós duas e a gente escondia isso dela. Disse que não tinha nenhum problema se fosse algo grave, contanto que a gente falasse a verdade e priorizasse a relação de confiança entre nós. Que ela não queria que a gente mentisse pra ela, porque deixaria ela muito triste e decepcionada, principalmente depois daquela situação com minha prima quase um mês antes.
Eu (que não gosto de mentir e nunca fui boa em acobertar alguém) já comecei a rir e me sentir mal, quase me entregando no processo. Entretanto, isso era uma coisa da minha prima, não minha. Não era eu que tinha que contar e por isso eu só fiz piada e deixei pra lá.
Quando minha mãe saiu, eu comecei a pressionar minha prima pra contar pra mamãe o que tinha acontecido, pressionar mesmo. Deixei ela muito puta comigo, e ela foi lá contar. Contou uns fatos pela metade e minha mãe veio tirar satisfação comigo, perguntar se eu sabia de alguma coisa e eu não disse nada, mas tentei (de um jeito bem torto) aliviar a situação enquanto tentava convencer minha prima a contar a verdade (não pela metade, mas toda a verdade), o que deixou ela ainda mais puta comigo.
No final, nenhuma das duas contou nada e minha mãe não ficou chateada, só queria que a gente fosse sincera, mas respeitou o fato de a gente não querer contar (ou tentou respeitar).
O meu ponto, era que eu queria que elas duas confiassem mais uma na outra e toda essa tensão entre elas fosse diminuída. Queria que a relação delas melhorasse e não fosse baseada em segredos e coisas escondidas. Sei que me meti demais, mas eu só queria que minha prima mantivesse a palavra dela sobre melhorar o relacionamento dela com minha mãe e elas se dessem bem.
Minha prima tá chateada comigo até agora e provavelmente nunca mais vai ter confiança em mim pra me contar nada, mas não me sinto totalmente culpada (ainda que fique triste por ela estar brava comigo). E então, fui a babaca por me meter demais?
Atualizando o post:
Eu pedi desculpas pra ela, tive uma conversa bastante sincera sobre tudo. Ela disse que me perdoou, mas que evitaria me meter nos problemas dela (porque seria injusto comigo e me deixaria dividida na situação, já que eu não gosto de mentir e não quero magoar minha mãe). Entretanto, ela tem sido distante comigo. Além disso, se estressa fácil com qualquer coisa que eu faça (eu sou meio lerda e demoro a tomar atitudes a respeito de algumas coisas, então ela perde a paciência fácil comigo) e resmunga sobre mim (me achando incompetente).
Está tudo bem, eu acho. Na medida do possível. Acho a atitude dela "normal" comparada a outras coisas, mas ainda cansa ficar percebendo essas coisas e desgasta um pouco.
(Entretanto, é compreensivo, dada a toda a situação anterior. O melhor agora é deixar cada um no seu espaço e esperar que as coisas se acertem)
submitted by moobe_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.15 01:43 Lost-Morning Cadeia de Ma Zigu Peng Yunhui: Na vida de uma criança, não há "um passo" ao acaso, deve haver um "plano"! O Mazars Valley desenvolveu o "Manual do Proprietário para mães e filhos de 0 a 6 anos"

Cadeia de Ma Zigu Peng Yunhui: Na vida de uma criança, não há
妈仔谷连锁彭云辉:孩子的人生,“一步”都不能随意,该有“计划”!妈仔谷为你制定“0-6岁母婴成长使用说明书”
Cadeia de Ma Zigu Peng Yunhui: Na vida de uma criança, não há "um passo" ao acaso, deve haver um "plano"! O Mazars Valley desenvolveu o "Manual do Proprietário para mães e filhos de 0 a 6 anos"
文 周君君

https://preview.redd.it/nzp4szxjpy451.jpg?width=3648&format=pjpg&auto=webp&s=316e6fff974f58a648370cd8b1ecc2e1ec7c4185
如果你走入妈仔谷总部,你会看上墙上一幕幕彭爸爸的黑白照片。一个眼睛不大却自带喜感的男人用温柔充满着爱的眼神对婴儿每一个细节呵护的照片,有的是他在喂婴儿喝奶,有的是他为婴儿在按摩,有的是为婴儿在换尿片,有的是在跟婴儿说话,有的是哄婴儿睡觉,有的是给婴儿洗澡……每一幕,都让人感受到浓浓的父爱,深深的感动,深深的震撼。
Se você entrar na sede do Vale Ma Zi, verá a foto em preto e branco de Peng Peng na parede. Uma foto de um homem com olhos pequenos, mas com um sentimento de alegria que cuida de todos os detalhes do bebê com olhos gentis e amorosos, alguns estão alimentando o bebê para beber leite, outros estão massageando o bebê e outros estão trocando a fralda para o bebê. Alguns estão conversando com os bebês, outros estão convencendo os bebês a dormir e outros estão banhando os bebês ... Cada cena faz as pessoas sentirem o amor de um pai forte, profundamente comovido, profundamente chocado.
人生路不可随意,每一步都得用心地走,每种遇见都会在人生当中留下印记,无论遇见人,遇见事,遇见物件;据世界儿童心理学,行为学专家数据,一个人初生到这个世界时0-6岁,是感知能力最强的时候,他的一切“遇见”都会被他深刻的感知,然后雕刻在他潜意识深处,伴随他一生,影响他一生的每一次“抉择”。所以每个父母希望能用更正确的方法论,更专业的方法,更专业的“情绪”,去为孩子做更多“对”的事情,希望能让孩子“遇见”更多的美好。可是初为父母,几乎都是处于混沌状态。
O caminho da vida não pode ser aleatório. Cada passo deve ser tomado com cuidado. Todo encontro deixará uma marca na vida. Não importa quando você conhece pessoas, quando conhece coisas, quando conhece coisas; de acordo com dados de especialistas em psicologia e comportamento infantil no mundo, uma pessoa nasce aqui. O mundo tem de 0 a 6 anos. É o momento em que a capacidade de perceber é a mais forte. Todas as suas "reuniões" serão profundamente sentidas por ele e depois gravadas nas profundezas de sua mente subconsciente, que o acompanharão por toda a vida e afetarão todas as "escolhas" em sua vida. Portanto, todos os pais esperam usar metodologias mais corretas, métodos mais profissionais e "emoções" mais profissionais para fazer coisas mais "certas" para seus filhos, na esperança de fazê-los "encontrar-se" mais bonitos. Mas os primeiros pais estão quase em um estado de caos.
那时的彭云辉和妻子自然也处于混沌之列。十四年前,还是独生子女的时代,孩子的降生就是每个家庭最重要的事情和全部关注的中心。那年,彭云辉初为人父,那是种非常奇妙的体验。充满惊喜,感叹生命的神奇和伟大,同时,又诚惶诚恐,不知道该如何正确地去面对新生命的成长,总担心一个细节没做好给孩子带来创伤,造成悔恨。
Naquela época, Peng Yunhui e sua esposa estavam naturalmente no caos. Quatorze anos atrás, era a idade de ter apenas filhos.O nascimento de um filho é a coisa mais importante e o foco de todas as famílias. Naquele ano, Peng Yunhui era o pai e foi uma experiência muito maravilhosa. Cheia de surpresas, lamentando a magia e a grandeza da vida, ao mesmo tempo sincera e com medo, não sei como enfrentar corretamente o crescimento de uma nova vida, sempre preocupada que um detalhe que não seja bem feito traga trauma à criança e causará remorso.
女人刚生完孩子,作息时间完全被打乱,又对孩子的过分紧张,对环境的过于敏感,很容易产生一定的忧郁情绪,而哺乳期阶段情绪的忧郁或者波动却直接影响到母乳的质量和产量。而彭云辉妻子就属于这种类型,孩子不足两个月母乳已经不足以供应孩子的需求。吃什么奶粉,吃什么辅食就成了一家老小讨论研究的重要话题。彭云辉开始专心研习专业书籍,在网上收集经验,唯恐选择错误让新生孩子受到一点伤害。
Uma mulher acabou de dar à luz um filho, sua agenda é completamente interrompida, ela está excessivamente nervosa com o filho e é sensível demais ao ambiente. É fácil produzir uma certa quantidade de depressão. No entanto, a depressão ou flutuação do humor durante a lactação afeta diretamente a qualidade do leite materno. E rendimento. A esposa de Peng Yunhui pertence a esse tipo: o leite materno para crianças com menos de dois meses não é suficiente para atender às necessidades das crianças. Que leite em pó comer e que alimentos complementares se tornaram um tópico importante para os jovens discutirem e pesquisarem. Peng Yunhui começou a se concentrar no estudo de livros profissionais e na coleta de experiências na Internet, para que a escolha errada não prejudicasse um pouco o recém-nascido.
那一段日子,彭云辉夫妇感觉每天过的慌慌张张,像在打乱仗。面对孩子每一天的成长,父母不仅需要谨言慎行给他们最好的成长环境,同时还需要战战兢兢如履薄冰的挑选他的食物和用品。从吃,怎么吃,何时吃,吃什么。到用什么,如何用,用那种。好不容易能够把吃的用的折腾好,孩子脸上冒痘痘,生病发烧……全家又成了热锅上的蚂蚁,家中又开始演绎着兵荒马乱人心惶惶的大剧,去医院打针吃药又担心孩子摄入抗生素,不去医院,似乎网上的经验之谈许多也没有成效……
Naquela época, o casal Peng Yunhui sentia pânico todos os dias, como se estivesse travando uma guerra. Diante do crescimento dos filhos todos os dias, os pais não apenas precisam ter cuidado e proporcionar o melhor ambiente para o crescimento, mas também precisam escolher a comida e os suprimentos de uma maneira assustadora. De comer, como comer, quando comer e o que comer. Para o que usar, como usar, use isso. Afinal, eu era capaz de jogar a comida, o rosto da criança estava com acne e ele estava doente e febril ... toda a família se tornou uma formiga na panela quente novamente, e a família começou a realizar um drama terrivelmente perturbado por soldados e cavalos. Preocupado com as crianças que tomam antibióticos e não vão ao hospital, parece que muitas conversas sobre experiências on-line não são eficazes ...
彭云辉对自己的理解,认为自己最大的优点就是相信任何事只要通过用心的学习以及实践,多参考优秀的经验一定可以找到更正确的方法,以更正确的方法,制定更正确的计划去做好。
O entendimento de Peng Yunhui de si mesmo acredita que sua maior vantagem é que ele acredita que tudo pode ser encontrado através de cuidadoso estudo e prática, e referindo-se a uma excelente experiência. .
他开始满世界去求教母婴专家,阅读大量书籍,经常去向有优秀经验的人学习,功夫不负有心人。孩子未满周岁,他已经从一个‘无知’的混沌爸爸,成长为朋友圈中传说的‘母婴专家彭爸爸’。从孩子什么阶段选择什么奶粉,配以什么辅食,到如何安抚孩子入睡,到小儿推拿,到孩子简单的小毛病,过敏,头疼脑热,闹肚子,他都可以处理的游刃有余。朋友经常笑他说他是可以“制定婴幼儿成长全计划”的“彭博士,彭爸爸。”然而,朋友们自己成为父母时,又经常上门找“彭博士”讨教求助。后来发展成经常一群朋友抱着孩子围坐在“彭博士”家开“座谈会”,后来朋友的朋友也慢慢加入了这个“行列”。当孩子有个头疼脑热,吃喝拉撒异常,大家都已经默认先跑“彭博士”家。由于彭云辉原本就是佛系性格,温和而乐于助人,后来朋友圈都昵称他为“彭爸爸。”
Ele começou a procurar o conselho de especialistas em mães e bebês em todo o mundo, leu um grande número de livros e muitas vezes aprendeu com pessoas com excelente experiência. A criança tem menos de um ano de idade e cresceu de um pai caótico da ignorância para um lendário especialista em mães e bebês, Peng Peng, no círculo de amigos. Ele pode lidar com tudo, desde qual leite em pó a criança escolhe em qualquer estágio, qual alimento suplementar, como acalmar a criança para dormir, massagem infantil, pequenos problemas infantis simples, alergias, dores de cabeça, febre cerebral e problemas estomacais. Os amigos costumavam rir dele e diziam que ele era "Dr. Peng, pai Peng", que pode "fazer um plano completo para o crescimento de bebês e crianças pequenas". No entanto, quando os amigos se tornaram pais, muitas vezes procuravam o Dr. Peng para obter ajuda. Mais tarde, tornou-se um grupo de amigos segurando crianças em torno da casa do "Dr. Peng" para realizar um "simpósio" e, em seguida, amigos de amigos gradualmente se juntaram ao "posto". Quando a criança tem dor de cabeça e calor no cérebro, comer e beber Lhasa é anormal, todo mundo deixou de executar o "Dr. Peng" primeiro. Como Peng Yunhui era originalmente um personagem budista, ele foi gentil e prestativo.Mais tarde, seu círculo de amigos o apelidou de "Papa Peng".
那一年,彭云辉如平时一样一边吃着早餐一边读着报纸,一个醒目的标题吸引了他——产妇患抑郁抱着两个孩子跳楼。看完以后,他深深惊憾,久久不能平静,连续两天吃任何食物都味同嚼蜡,无法下咽。第二天,彭云辉和妻子商量,决定放弃奋斗十几年年营收超千万的贸易公司,开一家母婴店,他将从源头开始精选最好的吃用物品,同时,用他所学集合一些专家为初生父母们制定更专业的母婴全系统计划,以及母婴日常问题提供解决方案,他觉得这真是太重要了,他跟妻子讲起了昨天报纸上那骇人听闻的那則新闻,妻子听后唏嘘不已回想起自己曾经也患过轻微的产后抑郁,非常支持丈夫的选择,认为这确实是很有意义,能够帮助他人的事。
Naquele ano, Peng Yunhui estava tomando café da manhã e lendo o jornal como sempre, e uma manchete impressionante o atraiu - a mãe com depressão e segurando dois filhos pulando. Depois de assistir, sentiu-se profundamente arrependido por não conseguir se acalmar por um longo tempo, e comer qualquer comida por dois dias consecutivos com gosto de mascar cera e não conseguir engolir. No dia seguinte, Peng Yunhui discutiu com sua esposa e decidiu abrir mão de uma empresa comercial com uma receita anual de mais de 10 milhões de yuans e abrir uma loja para mães e bebês, que selecionará os melhores alimentos e suprimentos da fonte e, ao mesmo tempo, usará seu Aprenda a reunir alguns especialistas para formular um plano de sistema mãe-filho mais profissional para pais recém-nascidos e fornecer soluções para os problemas diários de mães e bebês.Ele acha que isso é realmente importante.Ele disse à esposa sobre as notícias apavorantes do jornal de ontem. Depois de ouvir isso, a esposa suspirou e lembrou-se de ter sofrido uma leve depressão pós-parto, apoiando muito a escolha do marido e achou que era realmente significativa e poderia ajudar os outros.
2005年彭云辉创立“妈仔谷”,字面意思是妈妈孩子在一个欢乐安全的世界里。“马仔谷”真正的寓意是,每一位马仔谷的服务顾问都能秉承大爱,幼吾幼以及人之幼,把天底下每个孩子都视如己出去爱和呵护,为宝爸宝妈提供科学育儿系统解决方案并帮助每个家庭把母婴养成计划落实到每一天的生活中去,让每个父母都能成为“母婴专家。”
Em 2005, Peng Yunhui fundou o "Vale Mãe", que literalmente significa que mãe e filho estão em um mundo feliz e seguro. A verdadeira implicação do "Mazi Valley" é que todo consultor de serviços do Ma Zi Valley pode defender grande amor, jovens e jovens, e tratar todas as crianças do mundo como se não estivessem por amor e carinho. Pais e mães fornecem soluções científicas para o sistema parental e ajudam cada família a implementar planos de desenvolvimento de mãe para filho em suas vidas diárias, para que cada pai possa se tornar um "especialista em mães e filhos".
而今妈仔谷已经成为母婴衣,食,住,行,用,教,乐,按摩,咨询,心理辅导等全方位一站式服务的互动机构,成为中国专业制定母婴计划的领先品牌。连锁店超过数百家,专业母婴顾问超过2000人,影响亿万家庭,成为亿万家庭信赖的知名品牌。
Hoje, a Ma Zai Gu se tornou uma agência interativa abrangente e abrangente para roupas de mãe e bebê, comida, moradia, viagens, uso, ensino, música, massagem, aconselhamento, aconselhamento psicológico, etc., e tornou-se a marca líder da China na formulação profissional de planos para mães e bebês. Existem mais de centenas de cadeias de lojas e mais de 2.000 consultores profissionais de mães e bebês, afetando centenas de milhões de famílias e tornando-se marcas bem conhecidas, confiadas por centenas de milhões de famílias.
彭云辉说:“我一直非常非常爱孩子,我非常爱孩子的笑,那是世界上最纯净的笑容,我们该感恩与孩子的“相遇”,我们该珍惜善待与孩子相处的每个时刻,我们得设法尽可能让他感知到这个世界很多很多的美好,遇见这个世界很多很多的爱,这就是妈仔谷存在的意义。”孩子诞生,我们不再恐慌,混沌,我们一起牵手去妈仔谷吧!
Peng Yunhui disse: "Eu sempre amo muito crianças. Amo muito o sorriso das crianças. Esse é o sorriso mais puro do mundo. Devemos ser gratos pelo" encontro "com crianças. Devemos valorizar cada momento que temos com crianças. Você tem que tentar fazê-lo sentir o máximo possível neste mundo, e conhecer muitos, muitos amores neste mundo, que é o significado da existência de Ma Zai Gu. "O nascimento de um filho, não mais entramos em pânico, caos, vamos para Ma Zai Gu Certo!
盘湘文化 周君君
submitted by Lost-Morning to u/Lost-Morning [link] [comments]


2020.06.14 01:10 wetdogo Primeira exp sexual com uma garota de programa: extremamente frustrante kkkkkkkkk

Porra galera, hoje eu tava sem fazer nada nesse sábado, e acabei criando coragem pra ir ver uma gp que atende aqui perto.
Chegando la ela foi super legal comigo, mas eu tava extremamente nervoso, e não fiquei ereto nos primeiros momentos, isso ja tava pesando na minha ansiedade, até ela vir fazer o oral.
Depois que ela começou, confesso que me senti em outro mundo, mas vi que não ia conseguir me segurar, foi algo muito instantâneo kkkkkkkkkkk, eu não sabia se tava gozando ou se era minha imaginação, até ela levantar e falar "o que é isso??" E cuspiu no lixinho que tinha no quarto.
Junto com a porra tinha saído SANGUEEE CARALHOOO QUE ODIOOOO, ela disse que se fosse gonorréia ela iria saber, eu respondi que não tinha como pois aquela era minha primeira vez """fazendo sexo""".
Ela olhou pra minha cara e disse: como q você consegue gozar assim mano??? (Confesso que me senti julgado) e só consegui pedir desculpas.
Depois disso ela falou: "bom, não vai dar tempo pra outra" enquanto eu examinava meu boneco pra ver se tinha algum sangramento (não tinha), eu acho que devia ser alguma ferida da gilette, pq me depilei ontem.
Eu só vesti a roupa com um sorriso tosco qurendo enfiar minha cabeça num buraco e morre, tbm pensando em como vou contar isso pros meus amigos kkkkkkk enquanto ela falava de outros assuntos sobre a região. Ela abriu a porta pra mim e pediu desculpas, eu agradeci pelo enorme um minuto prazeroso e fui embora kkkkkkkkkkkk.
É isso galera se puderem não procurem perder a virgindade com gp, ou procurem sei la, mas não vão na emoção igual eu fui e estejam preparados pro pior. Boa noite.
submitted by wetdogo to desabafos [link] [comments]


2020.06.06 22:15 ThiagoOR [Ajuda] A gestão do meu município (Cascavel - PR) vai condenar toda a região, preciso de material para uma ação no MPF.

[Ajuda] A gestão do meu município (Cascavel - PR) vai condenar toda a região, preciso de material para uma ação no MPF.
Boa tarde pessoal, vou tentar ser breve. Meu município tem 328 mil habitantes (Cascavel - PR) e estamos com um dos piores desempenhos do Paraná no combate a pandemia. Iniciamos com várias médidas, fechamos o comercio por um tempo e aprovamos a lei de uso de mascáras ainda em Março. Mas depois veio o enfadonho "plano de reabertura", agora a coisa saiu do controle e a gestão não quer assumir um lockdown.
Temos 10 leitos de UTI na cidade, já estamos a 10 dias com a lotação máxima e sempre transferindo alguns para outros hospitais na região (acho que já tivemos 5 transferências). E detalhe: quase 12% dos infectados no dia 27 de maio era profissionais da saúde, o que na minha percepção deveria ser um ponto a se considerado quando solicitamos uma transferência. A região conta com 71 leitos de UTI para atender um total de 2 mi de habitantes. Porém, o nosso crescimento está exponencial aqui (R0 = 1,5 pelas minhas contas). Vejam os dados fornecidos pela prefeitura nos últimos dias:
Detalhe: 70% dos exames feitos estão dando positivo por aqui.
Acontece que numa reunião que aconteceu ontem com gestores, secretario de saúde e representantes da Acic, foi decidido o seguinte: quando chegar a 70% a lotação da região (daqueles 71 leitos) será adotado um toque de recolher as 20h, quando chegar a 80% sera adotado lockdown no domingo, quando atigir 90% o lockdown vai extender pra sábados e feriados. Só será adotado o lockdown na cidade quando a lotação de todos os leitos da região chegar a 100%. Detalhe: estão funcionado até as igrejas e bares por aqui. Em outras palavras eles estão falando que só vão fazer algo efetivo quando começar a morrer gente em casa. O quão absurdo é isso? Ainda por cima estão condendo abertamente os leitos de UTI de toda a região, pois temos apenas 16% da população da região.
Queria ajuda de vocês com algumas referências científicas em relação ao tempo médio que os doentes ficam na UTI e o tempo médio que os doentes levam para serem hospitalizados a partir do inicio dos sintomas (que é quando fazem exames por aqui). Assim acho que consigo embasar um argumento pro MPF conseguir agir.
EDIT: Pra constar, os municípios da egião que me refiro são: Palmas, Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel, Toledo e Assis Chateubriand. A população precisa ajudar a pressionar Cascavel, mandem MP que eu repasso o audio de whatsapp do presidente da Acic de Cascavel falando sobre as medidas. Posso enviar para a moderação também para comprovar a denúncia.
EDIT 2: Alguns falaram que o suposto áudio de whatsapp é fake, porém hoje tivemos o recorde de confirmações diárias (58 novos casos), seguindo com o pé no acelerador, e o prefeito continua calado. O secretario de saúde manteve o discurso de que a região macro oeste ainda tem muitos leitos, se mostrando bem disposto a enviar o povo pra UTI. Sinceramente acho que é aquela típica situação em que uma informação sai pela culatra e fica mais fácil dizer que é mentira (que coincidência com a gestão federal né?). São necessárias novas medidas urgentes por aqui. De qualquer forma eu atualizo por aqui na segunda.
EDIT 3: Segunda teve uma coletiva de imprensa e o prefeito não negou o áudio, só declarou que não era uma reunião sobre o assunto e que estavam ouvindo sugestões. Pelo visto vai morrer gente em casa por aqui. Rezem por nós, o bicho chegou aqui no sul agora :~
E rezem por nós aqui.
submitted by ThiagoOR to coronabr [link] [comments]


2020.04.28 20:10 bebahia Diário da quarentena de um cara que mora sozinho - 2

Não tinha certeza se iria prosseguir com isso, mas vamos que vamos, porque escrever faz bem, ainda mais numa hora dessas.

Sou um puta privilegiado, morar sozinho numa pandemia faz um bem danado. Claro que tem a questão da solidão, aquela coisa de tomar cuidado pra não enlouquecer (dois amigos imaginários é o limite que me impus), mas caralho, que tranquilidade saber que me arrisco muito pouco a contaminar alguém querido. Não que isso me torne um cara irresponsável, eu sempre fui nerd então resolvi me entocar de vez durante a quarentena, mas eu não preciso ficar super neurado sempre que volto de uma das minhas pouco frequentes idas ao mercadinho aqui do lado de casa. Bom, talvez eu não devesse ir ao mercado nem pra esse reabastecimento pouco frequente, poderia encomendar, e talvez seja o melhor daqui em diante, porque parece que chegamos, ou estamos realmente quase, nas temidas semanas de pico.

Contexto para "eu" do futuro: Hoje é o limiar da tempestade perfeita, logo depois do Mandetta sair tivemos a saída do Moro, que resolveu deixar o cargo atirando. Foi uma sexta feira tão incrível e surreal, com direito a um pronunciamento poucas horas depois do Bolsonaro que até agora estou tentando entender, que todo o Brasil esqueceu da epidemia. O novo Ministro da saúde está desaparecido, não fala com os seus subalternos do ministério pra tratar de crise, e só reaparece pra dar apoio ao que o seu chefe maior fala, no caso, que os jogos de futebol deveriam voltar. País numa puta crise política, econômica que já veio lá de trás e se intensificou, nível de engajamento do isolamento social baixo porque até o auxílio conquistado a duras penas é liberado pra poucos. Estamos bem fudidos.

Ontem fiquei sabendo que uma colega de trabalho faleceu, morava na Maré. Vi uma foto de uma festa na Maré tirada no último sábado, lotado de gente. Primeira morte mais perto, virão outras. Minha mãe tem duas amigas que perderam os maridos, uma amiga minha biomédica começa a falar que suas colegas que trabalham em hospitais relatam casos de horror. As UTIs aqui do Rio lotaram. Meu amigo psicólogo está mal, mal em ter que atender pessoas angustiadas, e no deslocamento que precisa realizar pela cidade, constatar que a população no geral se comporta como se nada estivesse acontecendo. Eu adoro filmes de terror, mas esse que vivemos não tem a menor graça, é a angústia pela angústia.

Agora preciso retomar minha dissertação de mestrado, isso me incomoda mais do que deveria. Acho que com tudo de ruim que está acontecendo, merecia uma pausa completa, ficar só com o trabalho já estaria bom, mas esse tempo ainda corre pelo visto. Vamos lá né, sala do tempo, posso aproveitar para ser produtivo nisso e em tantas outras coisas. Talvez devesse reinstalar o Tinder, acho que teria mais chance de fazer sucesso nesse relacionamento virtual. Mas sei lá, preciso de mais uma complicação na vida? E se não der sorte, vou gastar atp sofrendo?

Mas vamos terminar porque já está muito longo. Coisas boas pra mim foi o lançamento do Xcom chimera squad, me divertindo bastante com ele. Comecei a ver uma série de animação, Midnight gospel, curtindo, está me fazendo bem. Toda sexta bebo com os meus amigos, acho que já falei disso no post anterior. E sei lá, por enquanto todos os dias são basicamente a mesma coisa. Vamos ver se volto a meditar, uma nova meditação, consciente de que não dá pra me fechar pro mundo. Engraçado isso, meditar é basicamente prestar atenção na sua respiração, no efeito dela no seu corpo, justamente o que tantos de nós estamos fazendo nesse momento, só que por medo. Medo que ela falhe, que acordemos no dia seguinte com dificuldade de respirar. Uma doença cruel.
submitted by bebahia to desabafos [link] [comments]


2020.04.25 17:51 heimmthestranger A pandemia ta me deixando totalmente sozinho

Em primeiro lugar eu quero pedir desculpas por desabafar aqui de novo, visto q meu ultimo post foi nesse sub tbm (eu geralmente só lurko msm, não gosto muito de falar em rede social) Eu to ficando muito mal nessa pandemia, nível ja n sei mais o que fazer. Meu último relacionamento amoroso com alguem terminou vai fazer 2 anos sexta que vem. Desde então, eu não consigo me interessar minimamente por ninguem. E isso vem me deixando cada vez mais sozinho. Meus pouquissimos amigos (que eu venho perdendo proximidade tambem ja tem uns anos) ja nem ligam mais quando falo disso com eles, eles ja acham que é brincadeira. Mas não é. Eu devo esclarecer que tenho vida social ativa, faço faculdade, saio com o pessoal etc, mas em questão de me relacionar com alguem eu simplesmente não consigo. Eu tava me sentindo bem mal com isso já desde bem antes da pandemia, mas agora que ela cortou a única "chance" que eu tinha de conhecer gente nova e eventualmente me interessar por alguem eu to ficando muito pior. Eu não consigo usar Tinder e esses apps do tipo pq eu tenho a auto estima bem baixa e sempre me sinto pra baixo usando, principalmente agora que o Tinder resolveu mostrar o número de curtidas que voce ganha e o meu é sempre baixíssimo. E pelo que o pessoal fala, eu não sou "feio" (nem bonito tambem), eu sou normal, na média ali. Pra piorar tudo, umas duas semanas atras uma menina da minha faculdade que tinha falado que tinha interesse em mim (a única pessoa que fez isso ano passado inteiro) me confessou que ela só fez isso pq uma amiga em comum nossa falou pra ela fazer pq eu tava muito pra baixo e talvez desse certo (não deu, a gente n tem nada em comum) Eu tenho uma tia muito próxima (como eu não tive contato com meus avós que morreram antes de eu nascer, ela sempre foi meio que minha vó) que nunca casou nem nada e eu vejo ela hoje totalmente sozinha e tenho muito medo de acabar assim. Eu to bem mal com tudo isso e eu ja pensei em me matar diversas vezes no último mes, em especial ontem foi um dia bem pesado nesse aspecto. Meu psicólogo falou que ia me atender online e simplesmente sumiu e parou de me responder antes de marcar um horario. Foi meio que um clusterfuck de ideias, eu to bem mal e n to nem conseguindo escrever direito, mas como esse sub é pra desabafo eu sei lá, só escrevi msm. Desculpa de novo por ter postado Ps: pra situar: homem, 24, bi Edit: esqueci de uma situação: final do ano passado um amigo da sala falou que tinha gente no curso que se interessava por mim, eu não sei se ele falou pra "me botar pra cima" e se realmente tem, mas o fato de ter falado isso e essa pessoa interessada nunca ter aparecido me fez bem mal tambem
submitted by heimmthestranger to desabafos [link] [comments]


2020.04.24 20:22 limpatudodireitinho Duvidas de alteração de titulares de conta de água

Olá, boa tarde

Comprei recentemente uma casa e ontem comecei a fazer as alterações de titulares das várias contas (água, luz, gás, etc).
Ao fazer a inscrição de abertura do processo para a água, enviei os documentos que me enviaram, e entretanto hoje recebi um email com o seguinte.

" Mais informamos que a celebração deste novo contrato tem um custo de €42,44 que corresponde ao 1º ensaio das canalizações interiores e será cobrado na primeira fatura de consumo.
Informamos ainda que iremos ao local de consumo fazer uma verificação ao contador e confirmar a estanquicidade das redes, nos próximos 3 dias úteis. Caso pretenda estar presente, poderá contatar-nos e agendar uma data."

Antes que me digam que deveria perguntar à prestadora de serviços, eu digo-vos que tentei contactá-los, contudo, pelos vistos encerram às 18:00 e a partir dessa hora já ninguém atende telefonemas.
Já andei a procura informação, mas ainda continuo sem perceber o que significa o 1º ensaio das canalizações. Neste momento a habitação tem água, está tudo regularizado. A única coisa que pedi para fazer foi simplesmente alterar o nome do titular da conta. Isto é normal? E já agora, costumam cobrar pelo contrato?

Outra questão, por lapso coloquei para ser por adesão à factura bimestral, pois queria mensal por causa de me dar a sensação de existir um maior controlo das contas. Segunda-feira irei ligar para lá e irei pedir para alterar, visto que o contrato ainda não está assinado. Mas o que me recomendam neste caso? Mensal ou bimestral?

Obrigado.
submitted by limpatudodireitinho to portugal [link] [comments]


2020.04.23 03:14 nati03 Minha mãe fez uma dívida em meu nome sem que eu soubesse

Minha família sempre foi pobre e passamos por muitos apertos durante minha infância/adolescencia. Quando atingi a maior idade, saí de casa para estudar e trabalhar, sempre que ganhava dinheiro enviava pra ela e minha irmã. Me esforçava muito pra poupar dinheiro e não ter que pedir a ela, pois sabia que ela só tinha o básico pra ela e minha irmã. Acontece que as coisas começaram a melhorar pra ela, pois minha irmã começou a trabalhar também e comprar coisas pra casa.
Pensei que finalmente poderíamos iniciar nosso plano de família para juntas melhorarmos nossas condições financeiras, mas tudo que recebi foram facadas da minha própria família, ninguém queria poupar um pouquinho de dinheiro para que pudessemos sobreviver a imprevistos. Sempre me pediam mais e mais dinheiro. Acabamos tendo vários desentendimentos e desisti de tocar neste assunto com elas, apenas decidi encontrar um novo trabalho e sair pacificamente da casa delas (durante estes desentendimentos, elas jogavam na minha cara que eu não morava ali).
Eu me casei, fazem quase 2 anos que meu esposo não consegue um emprego fixo, vivemos sempre nos policiando pra não fazer dívidas ou faltar coisas em casa. Temos que dividir o mesmo sapato e os mesmos agasalhos, pois estamos em dificuldades financeiras (não nos falta alimento, apenas alguns acessórios, somos agradecidos pelo que temos).
Mas ontem recebi um email de cobrança e fui investigar. Minha mãe fez uma dívida em meu nome há mais de 2 anos e não me disse nada. Hoje a dívida é de quase 3 mil reais. Me sinto como se tivesse levado uma facada no coração. Tento falar com ela, mas ela não responde minhas mensagens e nem atende meus telefonemas.Não consigo pensar nisso e não sentir um misto de tristeza e ódio. Sinto que, além de ser abandonada pelo meu pai, fui traída pela minha própria mãe. Dois anos me dizendo que sentia saudades, dizendo que se sentia triste por eu não estar lá mais, mas sem me contar o que fez. Temo que esta não seja a única dívida em meu nome. Não sei como vou pagar... O que sinto agora é um desejo de apagar minha própria memória pra não me lembrar desta família.
submitted by nati03 to desabafos [link] [comments]


2020.04.21 16:05 andreluben Moro no litoral norte de SC e aqui tá [email protected]

Ontem o Governador de SC disse que vários segmentos do comércio e serviços poderiam voltar a atividade "normal". Hoje pela manhã fui até o consultório da minha esposa - que está fechado pelo fato dela ser do grupo de risco - pegar prontuários dos seus pacientes e me deparei com tudo aberto, ruas cheias de pessoas, comércio com movimentação normal e grande parte das pessoas sem máscara. Detalhe, aqui não tem hospital, apenas US que se "equiparam" com 2 respiradores para uma cidade de 25k habitantes, onde a maioria é idoso, pois aqui a qualidade de vida é alta e virou destino de aposentados. Nas últimas eleições o Biroliro teve 85% dos votos aqui em minha cidade, então está infestada de pandemions que acham, inclusive meus pais, que esse vírus é pra derrubar o presidente e que só petista não quer trabalhar. Cheio de velhos nas ruas falando que esse vírus é uma mentira da Globolixo. Resumindo: se apenas 0,1% das pessoas ficarem doentes precisando de respirador, seriam 25 pessoas. Restando 23 pessoas que ficariam sem e teoricamente irão morrer. O que está faltando para esse povo ter uma real consciência da gravidade das coisas levando em consideração que não temos nenhuma infraestrutura pra atender mais que 2 pessoas?
submitted by andreluben to brasil [link] [comments]


2020.04.10 12:44 sairjean Os Quatro Erros Que Estão Levando ao “Relaxamento do Isolamento”

“É fácil persuadir o povo de algo, difícil é manter essa persuasão.” ― Niccolò dei Machiavelli
Temos visto nos últimos dias as pessoas relaxarem a observância das medidas de isolamento social nos estados e municípios onde foi implantado. Era mais do que previsível, dada a maneira titubeante com que foi implantado.
Deixemos de lado, por hora, a atuação do Presidente da República, que a maioria dos brasileiros acredita que “mais atrapalha que ajuda”, segundo recente pesquisa do Datafolha, e nos concentremos somente no que o Ministério da Saúde e os governos estaduais e distrital e as prefeituras municipais têm feito.
O timing da adoção do isolamento social foi tempestivo, na avaliação de vários especialistas, embora tenha sido já muito perto da subida acelerada da curva de contágio, deixando aos governos e à população pouca margem temporal de manobra. No momento em que os governadores e prefeitos decidiram agir, já de meados para o fim de março, não havia mais tempo para errar. E eles erraram, humanos que são. E insistem nos erros, arriscando emular outra proverbial espécie animal.
(Pode parecer injusto apontar erros dos governadores e prefeitos diante das, digamos, atitudes do presidente. Mas ele é um “ponto fora da curva”, que não deve servir de parâmetro.)
Primeiro erro: quiseram implantar as medidas de distanciamento ou isolamento social gradualmente, talvez para não dar uma parada brusca na atividade econômica, e para convencer e condicionar os cidadãos aos poucos. E também para eles próprios, os governantes, poderem aprender, na tentativa e erro, as mais eficazes estratégias de isolamento, posto que ninguém tinha fórmulas prontas, e o que funcionou em outros países nem sempre é diretamente transponível à realidade brasileira.
Para que pudesse ser assim, porém, as medidas restritivas teriam que ter começado logo depois do Carnaval, aproveitando a ressaca da primeira e última festa popular que tivemos e teremos este ano, quando todo mundo quer mais é ficar dentro de casa mesmo, e não tem a menor vontade de sair pra estudar ou trabalhar. Mas, já no último terço do mês de março, as medidas tomadas teriam que já ser mais duras que foram ― e que ainda não estão sendo agora, no final do primeiro terço de abril.
Por exemplo, de início, e até hoje em muitos lugares, restaurantes podiam servir às mesas, desde que em menor lotação, deixando metade ou mais das mesas vazias. Ora, se um salão meio vazio reduz as chances de transmissão da doença, um salão totalmente vazio zera as chances de transmissão. Atendimento “para viagem” ou entrega em casa deveriam ter sido as únicas formas permitidas desde o início, sem consumo local.
Outra coisa: recomendava‐se às pessoas sair de casa somente “em caso de necessidade”, como fazer compras de supermercado e de farmácia, mas também correr na orla, se exercitar no parque, e até passear com o cachorro! (Vai explicar isso pra uma autoridade de saúde chinesa ou sul‐coreana…) Agora, estão tendo que cercar as mesmas praças, parques e calçadões que disseram que as pessoas podiam continuar frequentando. A ordem (não apenas “recomendação”) desde o início devia ter sido sair de casa apenas em caso de extrema necessidade, entendida como algo que, se deixar de ser feito, pode ocasionar a morte de alguém! Comprar comida e remédios é extrema necessidade; correr na orla e passear com o cachorro, não.
“Ah, mas as pessoas podiam se exercitar ao ar livre, desde que evitassem aglomerações.” Mas o que é uma aglomeração? Dez pessoas num espaço fechado de 20 m² de área é uma aglomeração? E cinco pessoas? E se for em 30 m²? E se for num espaço aberto? E se for “só rapidinho”?…
Aí está o segundo erro: confiar demais no bom senso e no discernimento das pessoas para avaliar situações críticas para a eficácia do isolamento. Não é que a maioria das pessoas não tenha bom senso nem discernimento (uma parcela delas não tem mesmo); mas sim que é muito difícil abandonar velhos hábitos e adotar novos. Especialmente quando os novos hábitos são desagradáveis, contrariam nossos desejos, exigem esforço e disciplina, põem à prova nossa força de vontade e, pior ainda, se nos são impostos por alguma autoridade. Que o digam todos que já tentaram fazer dieta pra emagrecer ou iniciar a prática de atividades fisicas, sobretudo se foi por recomendação médica! Nós sempre tendemos, inconscientemente até, a buscar maneiras de burlar as imposições que nos foram feitas.
Assim é que os julgamentos inerentemente subjetivos que as pessoas fazem do que seja uma “aglomeração” são inescapavelmente enviezados: tendem a ser mais próximos do que é mais conveniente e confortável para elas, e o mais próximo possível dos seus antigos hábitos, e não do que as autoriddes de saúde consideram aceitável para minimizar a transmissão do vírus. Confie no “bom senso” dos frequentadores do parque e o parque ficará cheio; confie no “discernimento” do dono do mercado e o mercado ficará lotado; deixe para o gerente do banco decidir o tamanho “razoável” das filas junto aos caixas e as filas serão enormes. E deixe para as próprias pessoas nas filas das agências e dos supermercados avaliar a distância que precisam manter umas das outras, e elas ficarão muito próximas ― neste caso, por causa da ilusão de que, quanto mais perro elas estejam do início da fila, mais rápido vão ser atendidas.
Não! Pelo menos no início do processo de condicionamento, a disciplina tem que ser imposta e cobrada com rigor. Desvios devem ser corrigidos e punidos energicamente. Como só agora alguns governadores e prefeitos estão pensando em fazer ― e, mesmo assim só a partir da semana que vem…
Terceiro erro: dar às pessoas a ilusão de que o sacrifiício não será tão grande quanto se sabe que de fato será. Já na primeira entrevista coletiva que deu, o ministro da Saúde declarou que o pico da epidemia, fosse este de uma “montanha” ou uma “colina”, se daria entre o final de abril e o início de maio. Então, não precisa ser nenhum expert em epidemiologia pra deduzir que se o período de distanciamento ou isolamento social vai começar mais de um mês antes do pico, e sendo as curvas dos modelos epidemiológicos simétricas, o término desse período de isolamento deverá ser também mais de um mês depois desse pico. Quer dizer, se as medidas começaram em meados de março, elas terão que perdurar até meados de junho, para atingir o objetivo primário de “achatar a curva” ― e também o secundário, que não se fala muito, de “aplainar a curva” da segunda onda epidêmica que inevitavelmente virá quando as medidas de restrição forem relaxadas.
Então, por que os governadores e prefeitos já não decretaram, desde o início, que o isolamento vai ter que durar pelo menos três meses para ser efetivo? Por que ficam nessa lenga‐lenga de “quinze dias, e depois reavaliamos” a necessidade de continuar ou não com o isolamento? Para não “assustar” ou “desanimar” a população? Isso só faz as pessoas terem a expectativa de que vão ter que aguentar “só mais duas semanas”, e a cada prorrogação do prazo ficarem mais frustradas e impacientes, desacreditadas mesmo da eficácia das medidas. Afinal, se a cada duas semanas elas são continuadas, ficam cada vez mais rigorosas, e ainda assim o número de casos e mortes só aumenta, é porque não está dando certo!
(Dizer que a quantidade de mortes “seria muito maior” sem o isolamento é uma coisa muito vaga e abstrata; a variação nas quantidades de casos e de mortes de uma semana pra outra oferece um parâmetro muito mais objetivo, ainda que, por si só, enganoso, pras pessoas avaliarem a aparente eficácia das medidas de contenção adotadas. E esse parâmetro vai dar aparentar um índice mais de fracasso que de sucesso até que se chegue do “outro lado” do pico da curva.)
Esses três primeiros erros, na verdade, são variações de um mesmo equívoco maior: violar uma das mais conhecidas regras de política real do velho Niccolò:
“Faça de uma vez só todo o mal, mas o bem faça aos poucos.”
No caso em questão, implante logo de início duras regras de restrição à circulação de pessoas. Depois, quando for seguro, vá relaxando bem devagar. Coincidência ou não, é como fizeram (primeiro o “mal”) e estão fazendo (agora o “bem”) a China e a Coréia do Sul. E não estou dizendo que se devia ter feito aqui exatamente igual ao que se fez lá. Mas que os gestores devem ter coragem de fazer o que deve ser feito quando ainda pode ser feito.
“Não, você não poderá passear com seu cachorro. Não vai poder passear nem sozinho, aliás. Se insisitr, será multado em 1000 reais. Se desacatar o guarda, será preso. Você escolhe se prefere cumprir o isolamento na sua casa ou na cadeia.”
“Restaurantes, lanchonetes e padarias só vão poder atender pra viagem ou por delivery. Quem atender para consumo no local ficará duas semanas de portas fechadas. Se reincidir, perderá o alvará de funcionamento.”
“O decreto de isolamento social vai durar pelo menos até 15 de junho. Se der tudo certo, no início de junho a gente começa a abrandar o isolamento. O quê?… Se não for suficiente, a gente prolonga, ora!”
Medidas assim precisavam ter sido anunciadas no primeiro dia. Como não foram, têm que ser ditas hoje. Senão, “na terça que vem”, medidas muito piores terão que ser anunciadas.
Mas ainda tem ainda outro problema, que não é tanto dos governantes, mas mais das autoridades de saúde…
Quarto erro: números enganosos, que fazem parecer que o problema é menor do que na realidade é, que o perigo está mais distante do que na realidade está. Sabemos que, por vários motivos ― subnotificação, testagem insuficiente, atraso nos resultados dos testes, tempos de incubação do vírus, de aparecimento dos sintomas, de agravamento dos sintomas ― nós não só estamos vendo a “ponta do iceberg” como estamos olhando pra ele com o binóculo ao contrário! (Pra quem nunca olhou num binóculo ou luneta, se você olhar pelas lentes pequenas, apropriadamente chamadas de “oculares”, o objeto visto parecerá mais próximo; se você virar o instrumento ao contrário e olhar pelas lentes maiores, chamadas “objetivas”, o objeto visto parecerá mais distante.)
E não basta simplesmente os especialistas ouvidos todos os dias nos noticiários alertarem para o fato de que, devido aos problemas supracitados, a quantidade de infectados “deve ser maior” (já ouvi alguns falarem que “pode ser maior”) que o número de casos confirmados da doença. Novamente, isso fica muito vago. “Maior quanto?”, as pessoas se perguntam. E, ao imaginar a resposta, pensam sempre algo como “10% maior? 50% maior?”.
É que as pessoas em geral têm dificuldade de entender o conceito de ordem de grandeza. O mais recente e talvez mais confiável estudo cientifico sobre isso (postarei o link depois) estima que, no Brasil, pouco menos de 1% dos prováveis infectados são detectados. Isso quer dizer que o número de infectados é 100 vezes maior ― duas ordens de grandeza ― que o de casos confirmados!
E não são só pessoas com baixa instrução que têm dificuldade de entender isso. Quando eu falei desse estudo pra um amigo com grau superior de escolaridade, ele me disse, com base no número de casos confirmados ontem, 09/04, que foi 17.857, que então seriam “180 mil aproximadamente‘’ os infectados. No que eu repliquei, “É pra multiplicar por 100, não por 10.” E ele soltou um palavrão quando deduziu o número provável de perto de 1.800.000 infectados no Brasil enquanto escrevo estas intermináveis linhas. Não foi um erro de matemática dele, óbvio, mas uma resistência psicológica de encarar um cenário muito mais terrível do que ele acreditava ser. (A mesma resistência, que, estou certo, está na sua mente, leitor, neste exato momento, gritando pra você “Não, isso é um exagero, não pode ser tudo isso!”)
Este é o número que tem que ser anunciado com destaque nos telejornais: o número provável de infectados estimado por algum método razoável, nem que seja baseado em “palpites bem informados” (educated guesses). Porque, por mais grosseiro e incerto que seja ― e, no estágio atual de (des)conhecimento sobre o coronavírus, não tem como não ser ―, ele ainda será muito mais próximo da realidade que o ilusório “total de casos confirmados” que vemos pelo nosso binóculo ao contrário. Pelo menos enquanto não tivermos testado uma quantidade de pessoas que permita calcular, com métodos estatísticos confiáveis (aplicados em qualquer pesquisa de opinião ou de intenção de voto), quantos assintomáticos e paucissintomáticos há na população brasileira num dado momento.
“Ah, mas não tem como fazer esse cálculo.” Tem sim! Há pelo menos um mês que é possível fazer. Qualquer matemático que faça jus ao seu diploma ― de graduação ― é capaz de bolar um modelo baseado nos dados coletados na China e na Coréia do Sul (e, em breve, também na Alemanha), e fazendo a devida adaptação nos parâmetros para adequar à realidade brasileira, extrapolar um número que estará dentro de uma margem de erro ainda larga, mas dentro da qual é altamente improvável que o número de casos confirmados esteja. (Foi assim que os autores do estudo dos 1% fizeram, aliás, mas baseando‐se apenas nos números da China.) Para os objetivos de conhecer o real tamanho e a real distância de um iceberg, enxergar pelas oculares de um binóculo um tanto desfocado é melhor que olhar pelas objetivas de um perfeitamente ajustado.
Mas e qual seria a diferença, para o público, saber esse número estimado? Isso não vai confundi‐lo ainda mais? Não, vai esclarecê−lo mais! Porque hoje o morador da Rocinha lê no jornal que tem 11 casos confirmados numa comunidade de estimados 100 mil habitantes e pensa, “Ah, é muio pouca gente ainda!” Talvez ele leia a lista de nomes dessas pessoas e, muito provavelmente, não conhecerá nenhum. Qual a chance de qualquer um desses onze ter cruzado seu caminho no dia a dia, na ida e volta pro trabalho, ou na visita ao mercado? Não é nem preciso fazer conta pra estimar que é mínima, ínfima, praticamente nula. Conclusão: ainda dá pra encontrar os amigos no largo que dá acesso à principal subida do morro.
Mas se ele ouvir todo mundo nos jornais, na teve, na internet falando que esses 11 casos correspondem, provavelmente, a 1.100 infectados, a coisa muda completamente de figura! Já são pouco mais de 1% dos moradores. Quer dizer que, de cada cem pessoas, conhecidas ou não, que passam por ele todos os dias subindo e descendo as vielas da favela, uma já tem o coronavírus. Pode ser alguém que more no seu beco! Ou o mototaxista que o leva todo dia pro trabalho! Ou pode estar atrás dele na fila do supermercado!
Semelhantemente, numa cidade pequena, de 20 mil habitantes, enquanto não é anunciado o primeiro caso, as pessoas pensam que seu lugar ainda está “livre do vírus”. Tem prefeito de cidade do interior afrouxando as normas de fechamento do comércio e de restrição à circulação de pessoas baseando‐se justamente nessa falsa premissa. Mas se ele souber que quando o primeiro caso em sua cidade for confirmado provavelmente já haverá outros 99 ainda não notificados, e que, portanto, o vírus já pode estar circulando na sua cidade há vários dias, talvez já há semanas, e que a qualquer momento um deles vai dar entrada no único hospital da cidade e já de cara ocupar um dos dois leitos de UTI disponíveis, ele vai pensar 10 vezes antes de autorizar a reabertura do comércio!
Haverá, ainda, tempo de corrigir esses erros, antes da explosão de casos? Bom, certamente não vai se obter o mesmo benefício que se obteria se eles tivessem sido corrigidos há duas, três semanas. Muitas pessoas que não precisavam morrer vão morrer ― já estão morrendo ― porque os gestores públicos e as autoridades de saúde agiram conforme eu descrevi aqui. Mas muitas mais que não precisam morrer vão morrer se eles continuarem, se nós todos continuarmos, agindo da mesma maneira.
“Loucura é fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes.”
(Não, esta não é de Maquiavel; nem de Einstein, como às vezes se atribui. É de um grande sábio desconhecido mesmo…)
submitted by sairjean to coronabr [link] [comments]


2020.03.08 20:51 mylimetrik Acabei de conseguir um estágio mas minha ansiedade está me fazendo querer desistir

Só para contextualizar, este ano eu comecei a estudar Design Gráfico numa universidade da cidade onde moro, e pouco antes de começarem as aulas, fiquei sabendo de uma vaga de estágio através dessa universidade, então fui fazer a minha primeira entrevista de emprego só para ver como é. Eu achei que não ia dar em nada, porque eu estava um pouco nervosa no dia da entrevista e eu não tive nenhuma experiência profissional prévia, mas para minha surpresa, acabei sendo chamada para estagiar lá. A empresa é uma gráfica pequena localizada no centro da cidade, e me pediram para começar logo no dia seguinte ao que fui contatada por questões de urgência. Ao chegar lá, eu estava na expectativa de que passaria por um período de treinamento, ou que ao menos o primeiro dia seria somente para me apresentarem a empresa, mas não houve nada disso. Logo no primeiro dia já me botaram para trabalhar. Talvez eu já devesse ter imaginado antes que as coisas seriam assim, mas enfim. Ontem eu recebi o suposto "treinamento" da gráfica, no qual basicamente vomitaram informações para os estagiários, mas só isso. Após esse "treinamento", meu chefe simplesmente disse "hoje vocês começam a atender os clientes, boa sorte". Eu já devia ter esperado que iria atender clientes, mas sei lá, eu queria que eles pelo menos tivessem dado um treinamento adequado, mas não, eles simplesmente me botaram lá pra atender os clientes, calcular o valor dos serviços e montar as artes que eles pedirem. Isso tudo em meros 3 dias e sem explicarem direito. Eu nunca trabalhei antes, eu mal comecei a graduação, e tenho ansiedade social, mas eu queria ter finalmente uma experiência profissional para aumentar minhas chances de ser contratada no futuro. Eu tô com muita ansiedade por causa do estágio, principalmente pelo fato de que vou ter que atender muitas pessoas num fluxo contínuo, isso ao mesmo tempo em que estiver montando as artes que pedirem. E depois eu ainda vou pra universidade. Sei lá, não acho que quero trabalhar desse jeito nesse lugar, mas talvez se desistir eu perca uma oportunidade que será difícil de conseguir mais tarde. Não sei... Foi mal pela escrita zuada e valeu por ler :)
submitted by mylimetrik to desabafos [link] [comments]


2020.01.30 10:21 multibount Câmara municipal e o meu cocó

Ora bem. Moro numa zona rural no centro do país. Como aqui não há saneamento, praticamente toda a gente tem de usar as fossas das suas casas para pôr lá tudo o que é merda.
Até há cerca de 6 meses, sempre que as fossas estivessem quase cheias havia uns poucos senhores aqui da zona que tinham cisternas e esvaziavam as fossas por um valor aceitável (entre os 50€ e os 100€, dependesse da distância que tivessem de percorrer).
Em Novembro, reparei que a fossa já estava a ficar cheia e liguei à pessoa que costumava vir cá para lhe pedir que a viesse drenar.. Ora então que o senhor me diz que já não o podia fazer porque este tipo de serviço agora só é autorizado a 2 empresas no meu conselho e caso o apanhassem podia ser autuado até cerca de 60 mil euros. Perguntei depois se ele sabia quais eram as empresas que agora o faziam e ele disse que apenas foi avisado pela câmara que já não lhe era autorizado continuar com a sua atividade. Fui a câmara municipal no fim de Novembro e expus a minha situação. A única resposta que tive era que tinha de esperar até Janeiro porque ainda não tinham delineado a excelente ideia que tiveram.
Ameacei dizendo que o ia pedir a alguém para o fazer à mesma quando a senhora que me atendeu me responde apenas com uma valente gargalhada. Dias depois tive a GNR constantemente a passar à minha porta sempre a vigiar, várias vezes por dia em certos casos. Decidi depois esperar pelo início de Janeiro como me foi aconselhado e entretanto chegou-me uma carta a casa a explicar como ia ser o processo para pedir drenagens de fossas a partir de 2020. Na carta, simplesmente diz para ir ao posto principal dos CTT da minha zona para preencher um formulário que depois será entregue à empresa e ficar em lista de espera.
Fui a semana passada aos correios e como já estava à espera, nenhum dos empregados do posto sabia de alguma coisa. Recebi uma chamada ontem do posto dos correios a dizer que afinal já tinham os formulários e que podia ir lá preencher. Quando vou a preencher o formulário perguntei à senhora que me estava a atender se sabia quanto tempo achava que ia ter de esperar, no que ela me responde que podia demorar até 6 meses, MAS, que se tivesse muita urgência podia pagar 500€ à outra empresa que também está autorizada a fazer este serviço e o tempo de espera era menor, sendo o dono desta empresa o antigo Presidente da Câmara da minha zona.
Decidi que prefiro ter merda a escorrer pelo meu quintal abaixo. Agora estou na dúvida o que posso fazer e se isto está a acontecer noutros municípios. Enfim.
Edit 1 : Passei a manhã a falar com várias pessoas acerca disto. Há uma revolta geral contra esta mudança e há mais pessoas afetadas por isto.
Quero clarificar que afinal há apenas uma empresa autorizada a fazer este serviço, mas uma pessoa que já comentou aqui mencionou que podem pagar a outra empresa para fornecer o serviço. Fiquei ainda sem perceber de onde veio o valor que me mencionaram para pedir um serviço urgente e talvez me tenha antecipado ao considerar isso um facto. Ainda assim não descarto a hipótese..
Descobri também que houve uma pessoa autuada por ter feito a drenagem de uma fossa por si própria no seu terreno.
E há bocado tive de ir cagar a um intermarche.
Edit 2 : Recebi um telefonema a dizer que iam tratar do meu caso urgentemente e que tinha prioridade.
Os senhores lá de Penela acho que têm reddit
Edit 3 : Afinal, a outra empresa que é gerida pelo ex-autarca faz o serviço de drenagem de fossas, mas de momento não a particulares..
Edit 4 : Depois de um dia a tentar tratar desta merda, cheguei à conclusão que não há conclusão afinal.
Em menos de 6 horas fui de afinal isto vai ser tratado mais depressa do que parece, para afinal está na mesma, para depois receber a chamada de um Engenheiro da câmara a dizer que amanhã vinha a minha casa avaliar a situação, para afinal a empresa é que tem de tratar disso.
Entretanto morremos todos do caralhovirus e a fossa por limpar.
Edit 5 : Recebi um telefonema a dizer que vinham cá Segunda-Feira.
Tenho agora 100% certeza que os senhores de Penela andam no reddit.
No entanto não acredito que venham cá mas a ver vamos.
E achei piada ao facto de dizerem que o Engenheiro da câmara vinha cá hoje, só que hoje é dia de greve. 🤷‍♂️
submitted by multibount to portugal [link] [comments]


2020.01.22 15:29 coracaothrowaway Dor que simplesmente não passa.

Oi oi oi, pessoas. Tudo bem? Eu vim aqui fazer um desabafo por que me sinto muito desolado com a situação que vivo hoje. Então senta aí que vocês vão ouvir um marmanjo choramingando.
Tenho 21 anos e faço História em uma federal do sudeste, sempre fui muito inteligente segundo as pessoas (rs) mas sempre tive problemas com mulheres. Eu sempre pedia conselhos das minhas amigas no ensino médio e nos primeiros semestres da faculdade. Até quando uma amiga falava que não queria falar comigo eu pedia uma consultoria dela (rs) para o que eu poderia mudar.
Mas tudo isso muda quando eu conheço ela. Chamaremos ela de Frida, por que ela é fã. Eu e Frida nos conhecemos em uma roda de debate na facul, no mesmo dia nos encontramos em um sarau à noite, também na facul. Puxei minha melhor amiga no canto e pedi umas dicas. Fui lá e consegui um beijo! Ela era a moça mais linda que já vi, inteligente, trocava um papo da hora, entendia bem de política e ainda envolvida em movimentos estudantis, me apeixonei na mesma hora.
Não foi meu primeiro, mas cara, como eu queria que fosse. Trocamos números e continuamos a conversar todos os dias, nos vendo também, às vezes rolando e às vezes não rolando essa ficada
Certo dia, uma amiga me falou que era pra eu chamar ela pra minha casa assistir Netflix. Ela me chamou pra ir pra casa dela, pois achava melhor e era pra eu levar uns filmes para nós, já que seria mais legal do que Netflix. Fiz uma seleção de filmes top, sabia que tinha que impressionar já que ela faz artes cênicas. Decidir fazer o meu move, nos beijamos e perguntei se eu podia tirar minha camisa. Ela falou que não, por que ela não era assim. Depois desse dia, nunca mais nos falamos do mesmo jeito.
Passada umas semanas eu chamei ela pra sair, ela aceitou, mas falou que levaria um amigo. Eu aceitei, pois queria muito vê-la. Frida levou esse rapaz, que vamos chamar de João. João é gay e tava afim de mim, segundo Frida, desde pouco depois de eu ter começado a ficar com ela, pensei que era um menáge, mas não era nada disso, ela tava tentando me arranjar para o cara. Até aí tudo bem, eu peguei um Uber p casa depois de uma noite agradável em um boteco. João puxou papo comigo no whats e eu continuei a conversar com ele. Quando ele perguntou se eu queria ficar com ele, eu fiquei com medo de caso eu dissesse não ele fosse falar pra Frida e eu perdesse o amor da minha vida. Aí eu disse que sim.
Alguns dias depois Frida me chama p sair com João e mais um cara misterioso e quando eu chego lá, bum. É um dos caras mais detestáveis que eu conheço ele é minion, fútil que só pensa em academia e ainda ficava com uma amiga minha e de Frida e saiu espalhando que “comeu” ela pra todo mundo. Eu me segurei pra não falar umas poucas e boas pra ele (rs) mas deixei por isso. Então Frida começou a falar umas coisas sobre cotas e ele se posicionou contra ela, e eu logo tentei argumenatar a favor dela, mas ela só ficava discutindo mais com ele, como se eu não estivesse ali.
Ele só falava merda, falou na frente de Frida que tinha achado uma menina da sala dele gostosa e etc. E eu tava visivelmente desconfortável. Noite vai e vai, vou ao banheiro, quando eu retorno Frida e o machinho se beijando. Meu mundo caiu ali. Eu sentei e eles continuaram a se pegar. Foi aí que João olhou pra mim e pediu um beijo, eu dei só um selinho e saí falando que tava com diarreia.
Eu vomitei de puto que eu tava naquele dia, só queria me matar, como ela tão esclarecida ficava com um idiota daqueles? Dois dias depois resolvi desabafar com uma amiga em comum, ela me falou que ele era um babaca mesmo e ela me falou pra expor os meus sentimentos pra Frida.
Ligando no mesmo dia, à noite pra Frida, ela não atendeu. Mandei uma música de Rubel pra ela (favorita nossa) e ela só falou pra eu ligar depois. Continuei insistindo na ligação e uma hora ela atende irritada, falando que tava com o babaca. Eles dormiram junto.
Eu passei a noite ligando pra minha psicóloga e fazendo exercícios de ansiedade.
Isso foi ontem.
E ainda não passou.
Foi mal pelo throwaway escancarado.
Ass. Um coração doído
submitted by coracaothrowaway to desabafos [link] [comments]


2019.12.20 19:56 giulianosse Indignação suprema com entregadores dos Correios [rant]

Thread de desabafo
Nunca tive problema com os Correios. As encomendas sempre chegaram ultra-rápidas e até antes do esperado. Inclusive nunca fiquei com uma encomenda internacional mais de uma semana parada em Curitiba. Não sei se tem a ver com a minha região (Campinas) mas a logística deles é brilhante.
Sempre era o mesmo rapaz que entregava Sedex aqui em casa (grande Carlos). Nos conhecíamos por nome, ele sempre passava aqui no mesmo horário, quebrava uns galhos pra mim na hora de entregar (raramente se eu n tivesse em casa ele jogava a encomenda por cima do muro em um spot específico que não ia estragar nem tomar chuva).
Em contrapartida, eu sempre facilitava no máximo o trabalho dele. Ficava em casa quando ia ter entrega pra não precisar perder tempo voltando no dia seguinte, sabia o horário que ele passava então sempre ficava de prontidão pra atender ele rápido... essas coisas simples que não custa nada fazer pra ajudar um pouquinho, sabe.
Eu fiquei quase um ano sem pedir nenhuma encomenda por Correios, voltei a receber faz umas semanas pra cá. Ele deve ter trocado de área/se aposentado/mudado de região então um novo carteiro tá responsável pela minha rua.
MEU CACETE ALADO COMO EU ODEIO ELE
Vou contextualizar:
1) A minha rua tem uma numeração meio esquisita. O nº das casas decresce até certo ponto, começa a subir e depois volta a descer. Isso geralmente causa um estranhamento, então às vezes demora um pouco pra se acostumar por isso sempre que possível coloco referência na encomenda. Esse carteiro não encontrou a minha casa uma vez - beleza, acontece - e deu como endereço incorreto. No dia seguinte achou minha casa. O único problema é que SEMPRE acontece isso. De 6 encomendas, 3 acontecem isso. E isso que deixo o número da casa bem à mostra.
2) Minha casa tem campainha num lugar super visível. Adivinha o que ele faz quando para na frente? Buzina que nem um desvairado, espera um pouco, bate palmas, espera, SOCA o portão de metal, espera... aí finalmente decide tocar a campainha SÓ QUE AÍ ELE NÃO ESPERA! Toca uma vez, pula dentro do caminhão do caralho dele e sai cantando pneu. Eu já peguei 2x ele dentro do furgão se preparando pra ir embora quando abri a porta. Já expliquei mil vezes que a casa é funda e não dá pra ouvir ele chamando sem ser por campainha, mas o filho da puta caga e anda pra isso toda vez.
3) Ele entrega quando dá vontade. Ontem vi no rastreio de duas encomendas que elas tinham "saído pra entrega", então decidi cancelar compromissos pra ficar em casa esperando. Fiquei o dia inteiro atento pra ver se ia ter barulheira na frente e nada, depois aparece no rastreio "carteiro não atendido". Hoje fiquei em casa de novo e NADA, não passou ainda e com certeza vai usar a mesma porra de desculpa de ontem. E isso não é a primeira vez que acontece. O pior é que ele nunca faz o mesmo trajeto então as vezes aparece aqui 10h da manhã, 14h ou 17h.
A vontade de mandar tomar naquele lugar é grande, mas juro que se eu tiver que ir buscar as minhas encomendas no CD por conta de 3 tentativas de entrega vou armar um rebú do caralho.
Só quero ver se ele vai ter cara de pau de vir pedir cachê de boas festas (porque de bom grado eu com toda certeza não vou dar porra nenhuma). Ah, se quero...
submitted by giulianosse to brasil [link] [comments]


2019.11.04 18:49 Construtora_Volendam Construtora Volendam - Como tudo começou

Tudo começou em 1992 com o sonho de executar um projeto que reunisse qualidade de vida, lazer e segurança. Assim nasceu o primeiro empreendimento da VOLENDAM. Foi um sucesso e não paramos mais.
Com o intuito de melhor atender às necessidades e expectativas de nossos clientes, a VOLENDAM implantou o Sistema de Gestão da Qualidade – SGQ, que assegura a melhoria contínua do nosso desempenho global e a consequente vantagem competitiva, tornando-se a primeira construtora de Cabo Frio e Região dos Lagos certificada nas normas ISO 9001:2008 e nível “A” do PBQP-H.
A Volendam já construiu e entregou 18 condomínios, no total de 745 unidades, sendo 279 casas, 351 apartamentos, 80 salas, 34 lojas e 1 estacionamento, em um total de 114.759 m² de área construída. O que esses números representam? Que para centenas de famílias e milhares de pessoas, a VOLENDAMrealizou os seus sonhos.
Para nós, não basta simplesmente construir e vender um imóvel, mas sim realizar os sonhos dos nossos clientes. Essa foi a nossa inspiração para a criação do nosso slogan: REALIZA O SEU SONHO!
Construtora Volendam: Tradição, Experiência e Pontualidade. Ontem, hoje e sempre.
Siga-nos em nossas redes sociais: https://www.sympla.com.bconstrutoravolendam
submitted by Construtora_Volendam to u/Construtora_Volendam [link] [comments]


2019.11.03 00:19 Mgui321 Assédio moral no trabalho

Preciso de ajuda dos seus conhecimentos jurídicos. Uma prima minha é concursada numa das empresas que estão em processo de privatização. São centenas de terceirizados e algumas dezenas de concursados no ambiente que ela trabalha. Esses terceirizados são de empresas que desaparecem a cada três meses e contratam qualquer um, para receber o dinheiro do Estado. Mês passado, demitiram 360 funcionários e contrataram outros 360 (inclusive venezuelanos e ex-presidiários). Até aí, nada de mais.
Ontem, minha prima começou a receber mensagens de um desses funcionários que entraram mês passado e ele ficou agressivo porque ela disse que não era obrigada a aceitá-lo no Instagram e não o conhecia. Esse funcionário mandou muitas mensagens, a chamou de "nojenta", foram muitas, muitas mensagens em tom até de ameaça, porque ela não o aceitou. Ele usou mais de um número para mandar mensagem no WhatsApp, usou informações sobre minha prima que aconteceram antes dele entrar lá no trabalho. Minha prima já sofre de ansiedade e toma remédios. Eu liguei para a polícia para saber o que fazer, mas me deram um número que não atende. Ligamos para os gerentes dela e contamos tudo (isso hoje). Ele será demitido.
Agora minha prima está com medo do que esse cara pode fazer ao ser demitido. Orientei que ela não vá trabalhar segunda, e iremos na delegacia com o nome completo dele outras informações. Ela irá na assistência social da empresa e vai marcar reunião urgente com o presidente estadual da empresa. Ela tirou print das mensagens que ele não apagou. Mas preciso de mais ideias do que fazer para protegê-la. Ela não fez nada. Apenas disse que não iria aceitá-lo pq não o conhece e ele se descontrolou.
Descobrimos que ele pediu o contato dela para várias pessoas na sexta-feira e um funcionário deu.
Obrigado desde já.
submitted by Mgui321 to direito [link] [comments]


2019.08.28 15:10 Road-- Cuidado com a "Reforma do Pacto Federativo". Parece ser outra cujo objetivo é a destruição dos direitos sociais.

Ontem escutei uma palestra de uma pesquisadora (sim, ciência, pesquisa, universidade) alertando sobre isso. Pacto Federativo é o nome dado ao acordo para a distribuição de competências entre a União, estados e municípios, em especial no que diz respeito à cobrança de impostos e taxas (por exemplo, cobrar IPVA cabe exclusivamente aos estados) e os repasses obrigatórios que são feitos de um nível para o outro.
Estados e municípios reclamam que eles é quem estão mais próximos da população, atuando com as políticas públicas no dia a dia, mas é o governo federal quem fica com a maior parte do dinheiro arrecadado (de fato, segundo a palestrante, depois de todos os repasses, a união fica com 55%, estados 25% e municípios 20%). Então, existe esse movimento para reformar o pacto federativo, a fim de aumentar o dinheiro que vai para estados e municípios. Esse é o ponto principal.
Por um lado, estados e municípios realmente são responsáveis por nos atender "de perto" em mais coisas que o governo federal, além de que eles podem observar melhor as necessidades específicas de cada local. Por outro lado, existe o problema da incapacidade administrativa e corrupção, em especial nos municípios, que afetaria uma maior parte do nosso dinheiro se mais arrecadação estivesse nas mãos desses entes.
Mas isso é a discussão sobre o pacto federativo. E era o que eu pensava até hoje (não tenho opinião formada contra ou a favor).
O problema, alertou a cientista, vem nas entrelinhas das propostas atuais. Parece que o principal "defeito" do atual pacto federativo na visão dos que estão lá hoje são as despesas vinculadas. Isto é, um percentual mínimo que os governos são obrigados a gastar em saúde e educação, por exemplo. Outro "problema" seria indexação, tais como benefícios indexados ao salário mínimo, que sofrem reajuste automático sempre que o salário mínimo muda. Querem acabar com tudo isso para dar liberdade ao governante e legisladores para definir onde será gasto todo o dinheiro. Ela não mencionou, mas também li que está embutido na proposta uma moratória de dívida dos estados, incluindo os precatórios pagos a cidadãos comuns que esperam receber alguma dívida do Estado.
Por que isso pode ser ruim? Porque, ao meu ver, não está sobrando dinheiro na saúde e educação para você querer diminuir o percentual gasto nessas áreas. Se você quer tirar o mínimo delas é porque você quer pegar esse dinheiro e gastar em outra coisa. Existem outras áreas mais prioritárias? Talvez segurança, mas não esqueça que saúde e educação também são políticas com impacto indireto na segurança pública. Investimentos em infraestrutura? Não sei. Será que vale a pena esse risco? Já sabemos o problema que é a DRU, por exemplo, que retirou dinheiro da seguridade social para cobrir outros gastos quando sobrava, mas, agora que os gastos são maiores que as receitas, na verdade, só repassa o deficit do governo que seria de uma área X para a seguridade social (e aumenta a narrativa do rombo da previdência).
Tentei procurar um artigo compreensivo esclarecendo o tema para colocar aqui, mas não achei. Procurando no google "novo pacto federativo", há várias notícias sobre o assunto, cada uma com um detalhe.
submitted by Road-- to brasil [link] [comments]


2019.07.28 03:27 ropeserif O iFood notificou entrega do pedido, mas não recebi nada!

Aconteceu o que eu sempre temi. Paguei adiantado o pedido pelo aplicativo, vi o motoqueiro vindo pra cá, fui notificado de que o pedido foi entregue, mas não recebi nada.
O pedido foi no McDonald's. Ninguém atende no telefone do restaurante que encontrei no Google. Única forma de suporte do iFood é por chamado online, não tem mais telefone (que costumava ser 4003-0053).
Seguinte, eu acho que isso é estelionato e acho isso muito grave. Acho que de todas as coisas que podem acontecer, é a mais grave. Já faz 45 minutos que abri o primeiro chamado de suporte e ninguém entrou em contato comigo nem por telefone, nem por e-mail.
Posso dar queixa na delegacia? Se sim, contra quem? Como proceder? Preciso mesmo de ajuda, obrigado.
P.S.: Não quero simplesmente receber meu dinheiro de volta daqui a 24 horas, possivelmente num estorno que vai levar um ou dois dias úteis pra ser processado. Eu quero meu pedido que foi roubado.
um textão:
Ontem fiquei discutindo sobre a ideia que fizeram de eu ser um burguês safado puto com um problema minúsculo primeiro-mundista. Hoje vi que vários upvotes e downvotes indicam que há gente demais que concorde com isso e que minimiza o que eu passei. Pra todos vocês, eu pergunto o que teriam feito na situação.
Disseram pra eu esperar contato no dia seguinte e pedir outro lanche noutro lugar. Essa solução é péssima porque eu não tinha mais dinheiro pra gastar, não tinha como cozinhar e estava com fome. Achei que isso era óbvio. Eu não tinha nem mesmo um pão de forma pra passar um requeijão e ir dormir comido. Minha geladeira está vazia.
Eu estava numa situação de desamparo e eu me via muito vulnerável. Se não quisessem acreditar que meu lanche não havia sido entregue pra mim, eu não tinha nenhuma forma de provar. Isso teria sido ainda mais desesperador. Não era só um lanche.
Durante todo o episódio, eu estava muito irritado, mas eu não destratei ninguém. Eu não usei palavrões pra me referir ao iFood nem ao motoqueiro, eu não gritei com ninguém, eu me mantive cordial. Eu deixei de lado até o que poderia ter acontecido com o lanche, não fiz nenhum tipo de suposição pejorativa, fora ter me sentido roubado. Então de onde vem a hostilidade dos downvotes? Vem só da vontade de minimizar minha experiência e de tentar encaixá-la numa ideia de burguesia.
Aparentemente, seria burguesia o meu comodismo de ficar em casa, usar um aplicativo gratuito pra fazer um pedido e comprar uma oferta do McDonald's. Deve ser burguesia ter um smartphone. O que seria a realidade proletária na cabeça de quem downvotou? Comer o arroz e o feijão frios, sem mistura, do almoço? Um pacote de 1 quilo de arroz mais 1 quilo de feijão saem por cerca de R$ 9,00. Pra cozinhar, o bujão do gás custa uns R$ 70 —algo que eu não tinha em casa e nem tinha como comprar na hora. A McOferta no delivery custa R$ 36,00. Isso é pra vocês refletirem um pouco.
O que vocês consideraram uma situação de primeiro mundo era, na verdade, só uma situação moderna e urbana. Mas vocês puxaram um estereótipo e ficaram forçando ele sobre mim. Cada downvote/upvote nesse sentido só reforçava a estupidez de fazer de mim uma caricatura, um self-righteous bitch.
Na realidade, pra mim a burguesia está em achar que R$ 36 é desprezível. Em achar que podia simplesmente dispor de outros R$ 36 pra comprar lanche em outro lugar. Em achar que ficar sem comer uma refeição é normal, já que no dia seguinte eu podia tomar um bom café da manhã e ainda ter meu dinheiro de volta. Em achar que a massificação da produção de comida, como a do McDonald's, é algo criado pra vender hambúrguer pra quem é cheio da grana. Em ignorar que recorrer ao McDonald's e a sua sofrível qualidade nutricional é mais barato do que comer de modo saudável com um monte de opções de proteína, verdura e legumes.
Repensem os critérios de vocês sobre burguesia, comodismo, modernidade. Vocês acharam que estavam numa cruzada contra um idiota que não suporta o extravio de uma comida. Na verdade, vocês estavam só me humilhando por não ter mais dinheiro pra comer outra ou não ter a resiliência de prescindir de uma refeição. A babaquice estava com vocês, não no meu desamparo.
submitted by ropeserif to brasil [link] [comments]


2019.07.20 05:16 Luruisa Oi, então isso é meio que o inicio de um livro que estou tentando escrever o nome dele é, Por Onde Andou?

PROLOGO
O encontro estava seguindo bem, Nathan nem havia percebido o tamanho desconforto de Melissa, afinal era uma boa atriz, ria das piadas sem graça e conversava como se estivesse na companhia de uma das amigas. Já estava cansada de fingir, quando ele se levanta para ir ao banheiro, no mesmo instante que lhe da às costas, colocou a cabeça entre as mãos por um reflexo, se perguntava o que fazia ali? Nesse momento a única coisa passava pela sua cabeça era que precisava encontrar uma desculpa para ir embora sem ter que dar mais explicações, queria dizer algo a ele se levantar e ir em direção da porta sozinha e desaparecer, ao menos até no dia seguinte... Desde o começo desse encontro estava se perguntando em que momento pensou que fosse uma boa ideia vir até ali, como poderia ter pensado que seria divertido, alias divertido era o exato oposto do que esse encontro estava se tornando.
– Melissa... Está tudo bem com você? – A pergunta surpreende, ela não ouviu ninguém se aproximar da mesa, mas aquela voz... Não podia ser... À voz era de Thomas, o que ele estaria fazendo ali, ela estava ficando louca, devia ser um delírio, mas ao erguer a cabeça...
– Thomas? - De onde ele saiu? Fazia tempo que a estava observando? E o mais importante porque ele está parado ali, a encarando tão profundamente que parecia mergulhar em sua alma a procura de respostas que ela desconhecia.
– Você está bem? – Ele repete a pergunta para tirá-la do amontoado de pensamentos que rodeavam sua mente.
– Sim, estou... – falou perdida ao olhar dentro de seus olhos, ele parecia preocupado. – E você, como está? – Ela pergunta tentando sorrir e ignorar tudo que pulsava em seu peito.
– Eu estou bem. – Ele coloca a mão no ombro de Melissa, o que a fez se contrair. – Ei, o que houve?
– Nada vou ficar bem... – diz sem conseguir olhar nos olhos de Thomas, ela estava mentindo e não sabia como, mas ele a conhecia tão bem ao ponto de saber quando não insistir mais.
Ele passa a mão em seu braço enquanto a observa, ela nunca conseguia esconder o que sentia, pelo menos, nunca conseguia esconder dele, ele a conhecia não a tanto tempo, mas o suficiente para reconhecer que os olhos dela sempre explodiam de sentimento, quando estava triste seus olhos eram vazios e distantes, no entanto quando estava feliz ela sorria com os olhos.
Quando Thomas a viu aquela noite sentada em uma mesa com um rapaz que ele desconhecia, para qualquer outro ela aparentava estar confortável e feliz, mas não para ele.
Quando teve a chance de cumprimenta-la a primeira coisa que viu foi devastador o olhar dela estava tão triste quanto no dia que se despediram, ela não chorou aquele dia, mas seu olhar era de alguém que estava em frente a um cruzamento e não faz ideia para onde ir, ela estava tão perdida quanto naquele dia, mas dessa vez ele estava ali e não iria partir não a deixaria a própria sorte. Thomas a pegou pela mão e a fez levantar, colocou uma quantia de dinheiro sobre a mesa que pagaria pelo jantar e ainda sobraria para uma gorjeta generosa, Melissa o olhava sem saber como reagir ou o que dizer.
– Vamos. – ele não estava perguntando, ela o encara, parecia intrigada, mas ele já havia decidido que explicaria tudo que ela perguntasse depois, em um movimento a pegou pela mão e a levou, sem que ela oferecesse a menor resistência.
Ela não fazia ideia do que dizer a ele, queria perguntar como ele estava, quando voltou, mas seu primeiro objetivo era em sair dali. Com ele, sem questionamentos, só queria ir para um lugar longe de tudo aquilo. Eles se aproximaram de um carro e ele sinalizou para que ela embarcasse na porta do passageiro, e ela o fez. Duas quadras depois ela finalmente conseguiu formar palavras, sem pensar deixo sair às duas palavras que mais a afligiam.
– Quando volto? – falou assim de supetão, estava curiosa, mas tinha um fundo de raiva em sua voz, ela encarava a rua a sua frente, mas percebeu quando ele sorriu antes de responder. – Faz uma semana.

CAPITULO I
A cidade de Medusan nunca foi muito movimentada, mas nessa noite ela estava totalmente parada. Melissa podia contar nos dedos os carros que passaram por eles até que chegassem, ela não sabia exatamente onde mas chegaram. Thomas desceu mas não apagou os faróis, foi até a frente do carro e se encostou no capo. Ele estava esperando, esperava que ela fosse até ele, que ela se aproximasse por conta própria e isso não demorou muito. Ele quase sorriu quando ouviu o barulho da porta abrindo.
Ela não sentou ao lado de Thomas, ficou parada na sua frente de braços cruzados ela o encarava, devia ter muitas perguntas mas por algum motivo não falava nada.
– Como você está?– Thomas perguntou, ele queria que ela falasse, queria mesmo saber como ela estava. Mas ela não estava disposta a responder nada.
– Nem passou pela sua cabeça me avisar que iria voltar? Ou então me procurar antes?– Ela faz suas perguntas mas não queria que ele respondesse, não tinha uma justificativa para isso, ela queria que ele pedisse desculpa, mas ela sabia que ele nunca faria isso. – Lisa amanhã vai fazer uma semana que voltei, não...– Ele continuaria se fosse outra pessoa ou se eles estivessem em outros tempos, era a Melissa, sua melhor amiga que ele sempre adorou incomodar, aquela pessoa que ele irritava, só pra ver ela com raiva, ela nunca conseguia ficar brava com ele por muito tempo. – Foi mal eu deveria...
Ela não deu tempo para que ele pedisse desculpas, e o abraçou assim sem dizer nada a saudade que ela sentiu, era maior que a raiva ao saber que ele não a procurou antes.
– Você não devia ter feito isso, eu te odeio, mas senti tanto sua falta...– a respiração dela já estava irregular e a voz embargada, não queria o soltar nunca mais, e ele a abraçava com tanta força que parecia ter medo que ela fosse roubada de seus braços.
Depois de algum tempo ele afrouxou os braços que rodeava ela, com muito esforço se afastaram um do outro, como sentiu falta daquele abraço, como sentiu falta de estar na companhia dela.
– Fui um idiota, devia ter ido atrás de você...– Ele começou a falar mas logo foi interrompido, ela balançou a cabeça e sorriu de um jeito estranho, ela estava com vergonha.
– Você foi realmente um idiota, mas tudo bem,– ela estava começando a corar – faz uma semana, você devia estar ocupado – depois de uma pausa a expressão dela muda, e essa ele conhecia muito bem, ela fez um beicinho e forçou uma carinha de cachorro abandonado– Você nem devia lembrar que eu existia, quando me viu deve ter se assustado, deve ter pensado: Nossa aquela garota ali eu conheço de algum lugar, vou sequestrar ela para tentar lembrar da onde...– Ela caiu na gargalhada e não conseguiu mais fingir que estava magoada.
– Ei, eu não te sequestrei...– Thomas rebate, antes de cair na risada, ele a olhou sorrindo e percebeu o quanto ela havia mudado, mas apesar de tudo ela continuava sendo a sua Lisa que ele não trocaria por nada, e naquele instante tinha apenas uma certeza; nunca mais iria a deixar para trás.
Eles tinham muitos assuntos para colocar em dia, conversa vai conversa vem, Thomas tomou coragem de perguntar quem era o desconhecido do restaurante, Melissa sorriu amarga antes de responder.
– O nome dele é Nathan, e ele é novo aqui, se mudou com os pais. Essa semana deve ter ido umas 4 vezes no laboratório, na ultima ele me convidou para sair, não sei porque, mas aceitei. – Ele parece um cara legal.
– Ele é...– Melissa fica distante.
–O que aconteceu?
–Nada, acho que eu não devia ter saído daquele jeito...
–Desculpa– Thomas fala ao perceber que a culpa afinal era dele também, no entanto não resistiu em brincar – Você nunca suportou caras assim, eu fiquei tanto tempo assim fora?
Ela ri e gesticula com a cabeça em afirmativa.
–Eu devo ter enlouquecido... Ou talvez não seja eu, você já pensou na possibilidade de que enquanto você esteve fora eu possa ter sido abduzida por Et's e eles podem ter feito experiências com meu cérebro.
–Os Et's nunca iriam te abduzir, eles têm medo de que sua loucura seja contagiosa.– Thomas falou sério, mas não conseguiu manter-se assim por muito tempo, logo que olhou para ela e viu a expressão de quem parecia estar chocada, ela atuava como ninguém, ele teve que rir, como sentiu falta daquela garota.
–Senti falta do seu humor irritantemente sarcástico. –disse Melissa.
–Não tema, pois seu cavalheiro está de volta – disse Thomas fazendo uma pequena reverência.
Já estava tarde quando Thomas levou Melissa para casa, quando chegaram a mãe dela abriu a porta e comprimento Thomas, enquanto Lisa entrava.
– Boa noite Sra. Dantas –Boa noite Thomas, como está sua mãe? –Bem e a senhora?
–Estou bem, até mais Thomas. -disse ela adentrando a casa.
–Até– ele disse pra a Sra. Dantas.
– Boa noite Lisa.
–Boa noite Thomas.

CAPITULO II
Depois de colocar o pijama e se enterrar na cobertas, Lisa pegou o celular e lá estavam três mensagens:
Nathan, para Melissa às 19:36; "O que aconteceu? Para onde você foi?"
Nathan, para Melissa às 20:03; "Está tudo bem?"
A ultima mensagem era a unica que a deixava feliz era de Thomas:
Thomas, para Melissa às 00:24; "Oi, te vejo amanhã?"
Ela não sabia o que dizer, escreveu a unica verdade que poderia dizer a eles:
Melissa, para Nathan às 00:48; "Oi, desculpa. Estou bem, mas precisei ir embora."
Melissa, para Thomas às 00:50; "Oi, eu vou trabalhar amanhã."
Um instante depois o celular vibra,
Thomas, para Melissa às 00:51; "Te vejo amanhã, agora descansa, beijo."
Melissa, para Thomas às 00:52; "Ok, beijo."
Ela nem se deu ao trabalho de perguntar ele já havia ficado off, ela desligou o celular, fechou os olhos e dormiu rapidamente.

CAPITULO III

Já era quase cinco horas, o expediente de Melissa estava prestes a acabar, quando alguém entra no laboratório.
– Olá – que droga, Melissa não queria ter que dar explicações, não hoje, mas não havia para onde fugir, então depois de respirar fundo, sai de trás do balcão e vai de encontro com Nathan. – Oi.
– Olha você ai, está tudo bem? – Nathan pergunta, ele não parece bravo, tão pouco preocupado com o estado emocional dela.
– Estou, me desculpe por ontem, eu não devia ter indo embora daquele jeito.
– Não devia, o que diabos aconteceu?
Melissa não poderia dizer que o encontro foi um total desastre, não era culpa dele, era dela, que aceitou um encontro predestinado ao desastre.
– Eu não me senti bem, sinto muito mesmo.– ela se sentia péssima por mentir, mas isso era melhor que dizer a verdade, ao menos naquele momento.
Ele fez uma cara de incrédulo, mas não contestou as desculpas dela, foi interrompido antes, um cliente entrou no laboratório, Melissa sinalizou e disse:
– Preciso atender, – já se distanciando de Nathan, mas antes que conseguisse ir muito longe, ele a segurou pelo pulso e lhe disse:
– Quer sair hoje?
– Não posso,– ela disse ao se lembrar que Thomas havia dito que a veria hoje, e até aquele momento ele não havia aparecido, mas quando Thomas marcava algo com ela, ele sempre dava um jeito de aparecer.
Nathan soltou o braço dela sem saber o que dizer, Melissa não esperou que ele formulasse outra pergunta que ela não queria responder e foi em direção do cliente, logo depois o viu saindo do laboratório. Assim que acabou de atender ela fechou tudo, pegou seu casaco e saiu.

CAPITULO IV (inacabado)

Quando dobrou a esquina viu Thomas escorado no morro do outro lado da rua, ela atravessou e foi até ele. – E ai – ela cumprimentou, ele sorriu antes de responder. – Como vai princesa?– Ela riu, nunca gostou desse apelido, mas não se deu a trabalho de discutir, ele ofereceu o braço e ela aceito, e colocaram-se a andar na direção da casa de Melissa. Desde sua súbita chagada no dia anterior, ele não havia lhe dito por que voltou, o que o trouxe de volta, mas ela sentia que ele contaria para ela assim que estivesse reparado apesar de tamanha curiosidade que ela tinha, decidiu deixar que o amigo tomasse coragem por conta própria. Os assuntos eram tantos, falavam de como as pessoas mudaram, de seus antigos amigos, que por algum motivo acabaram se distanciando apesar de morarem na mesma cidade. – E Camile? - Thomas indaga depois de conversarem sobre alguns amigos. Melissa não entende o porque do nome naquele momento, elas nunca se deram bem, os pai de Camile eram vizinhos de Thomas antes de se mudarem para um bairro nobre da cidade, os pais dela eram ambos advogados e queria que a filha estudasse direito, mas para desgosto deles ela optou por estudar arte em uma cidade vizinha. No entanto ela volta e meia está pela cidade para a infelicidade de Melissa.

[...]
submitted by Luruisa to EscritoresBrasil [link] [comments]


Comunhão - Ontem, hoje, Jesus Cristo, sempre atento está entre nós Gusttavo Lima Oficial - YouTube Medley Ontem, hoje e para sempre De Ontem Até Hoje Cirurgia de Mão no IOT: ontem e hoje - Prof. Dr. Marcelo Rosa de Rezende Fernando Mendes Ontem, Hoje, Amanhã Zé Neto e Cristiano - ONTEM ERA EU - #EsqueceOMundoLaFora ... Paranaguá Ontem e Hoje - Melvin

  1. Comunhão - Ontem, hoje, Jesus Cristo, sempre atento está entre nós
  2. Gusttavo Lima Oficial - YouTube
  3. Medley Ontem, hoje e para sempre
  4. De Ontem Até Hoje
  5. Cirurgia de Mão no IOT: ontem e hoje - Prof. Dr. Marcelo Rosa de Rezende
  6. Fernando Mendes Ontem, Hoje, Amanhã
  7. Zé Neto e Cristiano - ONTEM ERA EU - #EsqueceOMundoLaFora ...
  8. Paranaguá Ontem e Hoje - Melvin
  9. Claudia Cardinale - Ontem e Hoje. - YouTube

Bem vindos ao canal oficial do cantor Gusttavo Lima Cantor, músico e compositor. Gusttavo Lima é autodidata na música. Mineiro de Presidente Olegário (MG) to... E o vídeo de hoje é sobre cuidado, e sobre louvor a Deus. O intuito de cantar sobre Deus e sobre o amor é levar paz e esperança para o mundo, principalmente nesse momento. Medley Ontem hoje e ... Provided to YouTube by Nikita Music De Ontem Até Hoje · Mastruz com Leite Em Todo Canto do Mundo Tem Cearense ℗ SomZoom Released on: 2016-04-01 Artist: Mastruz com Leite Auto-generated by YouTube. Cirurgia de Mão no IOT: ontem e hoje. Two Years Alone in the Wilderness Escape the City to Build Off Grid Log Cabin - Duration: 1:31:40. My Self Reliance Recommended for you Josias Menezes - Ontem, Hoje e Sempre - CD Completo - Duration: 51:56. Clássicos do Vinil - de Sales 3,541 views. 51:56. Om Mani Padme Hum Original Extended Version x9 - Duration: 3:35:53. Fotos Mostrando como Paranaguá era e como é hoje (2003). Fotos coloridas tiradas pelo Mauro. Edição feita por Melvin Duran. Zé Neto e Cristiano - ONTEM ERA EU - #EsqueceOMundoLaFora OUÇA OS ÁUDIOS OFICIAIS CLICANDO NO LINK https://SomLivre.lnk.to/EsqueceoMundoLaForaDeluxe Zé Neto ... Claudia Cardinale desde sua infância até os dias de hoje - 2018. Fernando Mendes Ontem, Hoje, Amanhã Você agindo assim nos incentivara para que continuemos fazendo o melhor possível Para que vocês meus amigos e amigas continuem aprovando o nosso trabalho ...