Libertar a conversar com as mulheres

Meus hábitos autodestrutivos me tornaram, um merda.

2020.02.16 23:19 Caralho123Buceta321 Meus hábitos autodestrutivos me tornaram, um merda.

Insegurança ao conversar, interagir, se relacionar. Me sinto inferior por não ter namorada, por não ser o cara mais social, sempre que vejo os caras com suas garotas, conversando interagindo, me vem um aperto, uma inferioridade que me destrói por dentro, e isso acabou me tornando uma pessoa com uma personalidade muito ruim. Me sinto deprimido por não ser sociável, mas não tenho interesse em socializar, em conhecer novas pessoas, e isso é muita hipocrisia da minha parte. Fico muito na defensiva quando estou em uma situação de exposição social, filtro minhas palavras, penso que toda hora todos estão me julgando, tento agir de um jeito para que gostem de mim, mas isso nunca da certo, por que não estou espontâneo e natural. Que a verdade seja dita, ainda me comparo, ainda julgo as pessoas, ainda sinto insegurança demais, ainda me sinto inferior, ainda visto mascaras, ainda me importo demais.
Sinceramente, não sei como resolver isso, quando criança, até uns 11 anos, sempre fui um garoto de falar, de interagir, de brincar na rua, e ficar de agarra-agarra com garotinhas, mas, tanta merda aconteceu, e acabei me autodestruindo. Acho que toda essa timidez, essa insegurança, esse medo, essa ansiedade, essa hipocrisia. É fruto de alguns males do meu passado...
- 09 Anos. carie grande no dente, eu não escovava os dentes, era muito preguiçoso para isso e acabou me custando caro. Uma carie no dente principal, o pnultimo dente, fazendo com que eu mastigasse apenas de 1 lado só da boca, e isso ocasionou em mim ao longo dos anos, problemas na fala, já que só um lado da boca se desenvolvia na mastigação, o outro lado ficava parado, e assim que adquiri dificuldade em pronunciar as palavras corretamente e alguns fonemas.
- 10 Anos. meu pai me da um computador. Acabou meu mundo lá fora, só pensava em jogos, videos, jogos, pesquisas, jogos, filmes, jogos, jogos. Meu primeiro joguinho online foi transformice. Marcou muito a minha infância, só de lembrar das horas e horas jogando aquele jogo, sinto uma vontade imensa de voltar no tempo... Mas nem tudo é flores, o computador é um dos principais fatores da minha insegurança. Passei a transição da infância para adolescência enfiado no quarto de casa, jogando horas e horas, recusava convites da minha família para sair, recusava convites para brincar na rua, recusava tudo, só pra poder ficar em casa jogando.
- 12 Anos, inicio do vicio em pornografia e masturbação. Era todos os dias, algumas vezes 3 por dia, 5 por dia, passava horas e horas vendo mulheres peladas, videos estranhos de pornografia. Every fucking days, porno, punheta, porno, punheta. Eu era literalmente um zumbi, magricelo, olhos fundos, pobre, feio, sem energia, que ainda por cima era mal nas notas escolares e tímido.
- 13 Anos, ginecomastia. Eu estava começando a socializar com o pessoal da rua, jogando bola, estava me libertando do computador e internet, a masturbação estava diminuindo, eu tava aos poucos tomando as rédeas da minha vida, mas ai chegou algo que me deixou deprimido e ansioso por vários meses. A ginecomastia, uma granula eleva as áureas do peito, fazendo eles ter aspectos femininos. Me trancafiei dentro de casa mais ainda, sentia vergonha do meu corpo, não tirava a camisa por nada. E mais uma vez, minha vida é arruinada.
4 Fatores. É incrível a capacidade de autodestruição do ser humano, todo dia, estamos nos destruindo, matando a nos mesmos aos longo dos anos, um verdadeiro suicídio mundial. E comigo não foi diferente, um problema, dando origem a outro, e outro, e outro... Me sinto um merda por ter levado a vida assim, na mediocridade. E aqui estou eu, um adolescente do ensino médio, com problemas na fala, ginecomastia, um vicio em porno e masturbação e fagulhas da desgraça que o computador fez em mim. Inseguro, sem autoestima, sem confiança, sem amor próprio, sem metas concretas para vida, que vive o nilismo, mas até essa porra de nilismo me deixa mais deprimido.
Tenho aderido ao desenvolvimento pessoal, mas nem mesmo isso me ajudou. Tentei uma vida perfeitinha de acordar cedo, hábitos matinais, ler livros, podcast, estudar, dormir cedo, meditar... Mas vendo toda essa analise, creio que só o genocídio dos meus pré-conceitos e a autodestruição positiva do meu ser, possa me libertar dessa bolha de insegurança e falta de autoestima.
Tenho uma boa família, condições financeiras estáveis, comida em casa, internet, água, abrigo, amor. Não me falta nada, a não ser, a paz. As vezes penso em morar na rua, como um mendigo, comer merda, viver na desgraça só para sentir a felicidade que é de está sofrendo por não ter comida, água e segurança, ao invés de sofrer por não ter namorada, muitos amigos, muitas curtidas, aceitação social, enfim, problemas do ego.
É longe demais, eu sei. Mas vejo a autodestruição positiva como a forma primordial para a destruição do ego, para a reacender a autoestima, a felicidade é o prazer de viver as pequenas coisas da vida.
submitted by Caralho123Buceta321 to desabafos [link] [comments]


2019.09.05 13:49 TaoQingHsu Os três tesouros no budismo

Os três tesouros
Os três tesouros no budismo significam o Buda, a lei búdica e as pessoas que praticam profundamente o budismo, aprendem bem o Buda e também compreenderam completamente a lei búdica. Tais pessoas geralmente se referem ao monge ou monja budista, no entanto, não desconsiderem aquelas pessoas que não são monjas ou monjas budistas, porque as aparências não poderiam representar o budismo. Enquanto isso, para aprender Buda, devemos saber que não devemos ser enganados por nenhuma aparência.
Buda significa que destruiu completamente ou eliminou quaisquer causas de perturbações ou problemas, e alcançou a libertação do sofrimento na vida e na morte com sua suprema sabedoria. Enquanto isso, por sua experiência prática no budismo, ele pode conversar com todos os seres sencientes sobre essas coisas. Isto é, não tem mais medo ou perturbações no coração. Nos tempos antigos, devido a prestar atenção aos homens e desprezar as mulheres, a maioria das pessoas pensa que Buda é homem. Entende totalmente erroneamente o Buda. Na verdade, Buda inclui homens e mulheres. Tais coisas são mencionadas nas Escrituras Budistas.
A lei de Buda significa destruir ou eliminar qualquer causa de incômodos ou problemas, e que pode realmente fazer todos os seres sencientes libertarem-se do sofrimento na vida e na morte. A suprema lei de Buda, como foi dito, pode eliminar o sofrimento na vida e na morte. Qual é a lei de Buda? Inclui o tudo. A lei de Buda não tem lei fixa. Portanto, não usem nossa mente teimosa para pensar o que a lei de Buda deve ser, porque a lei de Buda inclui o que está além do nosso pensamento e cognição, mesmo para além da nossa experiência.
As pessoas buda-aprendizes, que são o monge budista e não-monge, monja budista e não-freira, como mencionado acima, significam aquelas pessoas que podem suportar ou suportar as causas de destruir ou eliminar os incômodos ou problemas, e que estão no silêncio, ter mais compaixão por todos os seres sencientes, e que estão contentes com pouco desejo, insistir na lei de Buda, e praticar a lei de Buda de uma forma positiva, de modo a alcançar a verdadeira libertação do sofrimento na vida e morte. Essas pessoas também podem falar sobre isso para os outros depois de alcançar a verdadeira libertação do sofrimento na vida e da morte, e podem usar sua experiência prática, conhecimento e sabedoria para ajudar os seres sencientes a se libertarem do sofrimento na vida e na morte.
O significado t o procurar um refúgio nas três tesouros
Em nossa vida, podemos escolher se queremos buscar um refúgio nos três tesouros mencionados ou não. Se não tivermos essa escolha, isso não significa que não podemos aceitar o ensinamento do Buda ou que não podemos aprender o Buda. Em outras palavras, aceitar os três tesouros como um refúgio em nossa vida e morte, ou aceitar os ensinamentos do Buda , depende de nossa mente livre, ninguém poderia nos obrigar a procurar um refúgio nos três tesouros ou aceite o ensinamento do Buda.
Se houver grupos, comunidades ou pessoas para nos obrigar a mudar nossa crença e acreditar no que eles acreditam, devemos ter uma dúvida e uma dúvida fortes sobre isso , mesmo que eles digam que são grupos ou comunidades no budismo .
Em segundo lugar, há grupos, comunidades ou pessoas que dizem que, se não acreditamos no budismo, ou traímos o budismo, temos que morrer e iríamos para o inferno. Se, infelizmente, nos deparamos com essas coisas, é melhor deixarmos esses grupos, comunidades ou pessoas. Com base na compaixão O método de ameaça pode ser usado em alguma situação para ajudar as pessoas a se libertarem do sofrimento , mas não para ser usado assim.
Na verdade Budismo, os três tesouros são muito generosos, benevolen t, compaixão comeu, e mente aberta. O significado muitoimportante dos três tesouros que eu lhes digo em um breve, se realmente sabemos o verdadeiro significado dos três tesouros, saberíamos que os três tesouros e nós são um. Os três tesouros são nós . Nós somos os três tesouros. Como isso poderia ser possível?Como poderíamos saber?
É claro que, para aquelas pessoas que ainda não entenderam o significado dos três tesouros, os três tesouros são outra pessoa,mesmo que não tenham relação com sua vida. Pessoas más podem usá-las erroneamente para ameaçar ou enganar pessoas que estão com problemas profundos na vida. Então, devemos realmente saber qual o significado dos três tesouros, de modo a evitar ser umapessoa ameaçada ou enganada.
Os três tesouros são como o sol, o ar e a água. Se estamos em falta de qualquer um deles, absolutamente não poderíamos viver bem, independentemente de sermos ricos ou pobres. Os três tesouros poderia nos dar a sabedoria ea felicidade, que poderia ajudar a nos libertar do sofrimento i n a vida ea morte. Você sabe? Não importa quem seja rico ou pobre, eles estão sofrendo a aflição na vida e na morte.
Com o que as pessoas ricas se preocupam? Eles se preocupam em ser seqüestrados, então há os guarda-costas ao lado deles para protegê-los pelo seguro na vida. Você acha que isso é uma vida de liberdade? Com o que as pessoas pobres se preocupam? Eles não se preocupam com dinheiro para fazer uma refeição ou para receber tratamento médico, ou se preocupam em perder o emprego. Você acha que essa vida mental poderia estar livre de coração ?
Para procurar um refúgio nas três tesouros significa a voltar ou dependem dos três tesouros. Quando retornamos ou dependemos dos três tesouros, como se tivéssemos sol, ar e água, o que nos permitiria viver bem. Se os três tesouros não pudessem nos trazer a sabedoria e a boa vida, ao contrário, para nos trazer mais medo, preocupação e aflição, como poderiam ser chamados como os três tesouros?
Para procurar um refúgio nas três tesouros poderiam crescer a nossa sabedoria, nos ajudar a resolver a preocupação ou o problema em nossa vida, e, assim, resolver a nossa aflição do corpo físico e mental, de modo a aumentar a felicidade em nossa vida e nossas vidas futuras. É por isso que eles são chamados como os três tesouros.
Entender profundamente o significado dos três tesouros leva tempo. Tem que combinar nossa experiência prática para que possamos realmente entender o significado dos três tesouros. Os três tesouros também estão presentes em nosso próprio coração . H owever, que ainda não foram esclarecidos e ainda não os encontrou. Se tivermos sorte de encontrar esses três tesouros, nunca perca. Inglês: The Three Treasures in Buddhism
https://po-bvlwu.blogspot.com/2019/06/os-tres-tesouros-no-budismo.html
submitted by TaoQingHsu to u/TaoQingHsu [link] [comments]


2019.07.24 17:17 Balinoiss Gostaria muito de discutir a questão trans mas tenho medo de ser tirada de transfóbica.

Meu nome é Luiza, sou estudante de arte, 25 anos e tenho muito medo de puxar qualquer discussão sobre esse assunto e perder amigos e ser taxada de transfóbica simplesmente por querer debater o assunto para tentar entender melhor. Convivo em um meio em que muitas pessoas se identificam de diversas formas, mas pouquíssimas ou nenhuma se propõe a debater essas questões de forma racional, sem levar pro lado pessoal ou achar que por eu não concordar 100% eu estou "matando pessoas trans".
Vou tentar fazer um resumo de como essa questão se desenvolveu em mim. Alguns anos atras eu estava viajando com uma das minhas melhores amigas desde a infância que é lésbica. Estávamos em um restaurante com a familia dela e em algum momento do jantar a irmã dela falou algo sobre "homens com roupa de mulher" se referindo a pessoas trans. Eu - que sempre fui declaradamente uma defensora das diferenças - na hora chamei a atenção dela sobre estar sendo transfóbica e já taxei ela ali mesmo. Logo depois fomos ao banheiro eu e minha amiga e eu comecei a falar com ela sobre a irmã estar sendo transfóbica e como isso era ruim e perigoso. Na hora, minha amiga olhou pra mim e disse "Mas Luiza, o que é ser mulher? É usar rosa? É ser delicada e maquiada? É usar calcinha?" E eu fiquei com cara de tacho. Ali eu percebi que mesmo sendo mulher a 22 anos, nunca tinha me questionado sobre o que é a condição mulher e nem sobre o que fazia com que uma mulher fosse uma mulher. Em outras conversas ela me contou sobre a ex, que é uma mulher que não se encaixa nos padrões de gênero e por causa disso (por usar roupas consideradas "masculinas" pela sociedade) ficava ouvindo de várias pessoas no meio LGBTTQAI+ que ela era trans. A ex dela nunca aceitou isso e se afirma como uma mulher que pode se expressar como bem entende pois não acredita em "coisa de menino/coisa de menina"
Desde muito pequena (a primeira memória é dos meus 4 anos) eu sempre fui chamada de "Maria João", "mulher-macho", "sapatão" e todos os derivados disso por não seguir a risca a cartilha "feminina" e ser um pouco mais moleca. Eu simplesmente não me sentia bem com toda aquela pressão sexual nem com essa frufruzagem florida e cor de rosa que era empurrada goela abaixo das meninas pra no final tudo ser avaliado na competição de quem é mais bonita (desejável) do que a outra. Passei a vida inteira tendo que ouvir das pessoas que elas tinham certeza de que eu era lésbica pelo meu jeito de ser e de vestir, e sempre tive que explicar que nada disso fazia sentido, pois também não acredito na "cartilha da feminilidade"
O tempo passou e eu mantive essa questão sem muito desenvolvimento dentro de mim, até que comecei a andar com muitas pessoas que se identificam como "mulheres trans", e mesmo que na hora eu não percebesse, me incomodava aquela reprodução dos estereótipos do que é "ser mulher" por parte daquelas pessoas. Sempre extremamente sexualizadas, sempre reproduzindo padrões de roupas, de fala, de "interesses", até que eu comecei a pesquisar na internet canais de youtube de pessoas que falavam sobre o assunto pra tentar entender como essas pessoas definiam o que as fizeram se enxergar como mulheres, já que eu mesma nunca tinha conseguido definir o que era ser mulher pra mim (descartando a definição biológica). Percebi que em TODOS os casos que eu tive acesso eram sempre as mesmas questões: "eu via minhas primas brincando de boneca e com cabelos longos e queria isso também", "eu queria usar vestidos e chorava pedindo brinquedos como os da minha irmã", "eu sempre amei usar maquiagem e detestava esportes". Vi até gente que dizia que "simplesmente sentia-se como uma mulher" sem saber explicar como era isso, e eu, que nunca percebi nada dentro de mim que me fizesse "sentir que era uma mulher" passei a perceber como isso era complicado. Tudo que eu passei na vida em questão de sofrer com o machismo, ou de ser discriminada por não ser feminina o suficiente era em decorrência de ter nascido com uma xoxota. Essa xoxota me fez ser exigida ser sempre linda, ser recatada e "do lar", ser vista como menos capaz, tudo isso vem de brinde com uma xota, então como uma pessoa que nunca passou por isso pode dizer que "se sente uma mulher" só porque gosta do estereótipo feminino? Mulher é uma minoria social, por isso é muito complicado quando alguém quer entrar nesse grupo sem vivência nenhuma alegando simplesmente "se sentir parte". Costumo fazer um paralelo com a questão negra: Negros são uma minoria social, você pode se identificar com estereótipos negros, com a estética das culturas ligadas ao povo negro, mas NUNCA uma pessoa branca vai poder dizer que "se sente negro" e que por isso É negro, porque essa pessoa não tem a VIVENCIA do que é ser negro.
Entendo que uma pessoa que não se adequa ao gênero que foi designado ao nascer seja também uma minoria e que tenha uma vivência completamente diferente de quem é "cis", mas isso não faz com que a pessoa saiba como é a vivência do outro. Um menino que quer usar maquiagem não tem a mesma vivência de uma menina que se não usa maquiagem é tida como desleixada e feia. Mulheres trans pedem pelo direito de fazer coisas que aprisionam mulheres a séculos, coisas das quais as mulheres querem se libertar. Enquanto vejo videos no youtube de mulheres trans dizendo que lutaram pelo direito de saírem maquiadas na rua, vejo amigas que choram e não conseguem ter relacionamentos íntimos por medo de que as pessoas as vejam sem maquiagem e as achem feias. São pautas diferentes, não são a mesma coisa, e dizer que são não é vantagem pra ninguém pois atrapalha na identificação e nomeação de tais problemas para ambos os lados.
As páginas que disseminam conteúdo transativista têm muitas contradições, por exemplo: Cartilhas para "identificar sinais de que seu filho é trans" contém pontos como "perceber se a criança tem interesse por brinquedos e roupas designadas para o outro gênero" - mas ué... então eles acreditam em coisas para menino e coisas para meninas??? Isso não é exatamente reforçar os estereótipos de gênero? O órgão sexual define como a pessoa pode se expressar? Uma pessoa que não se adequa a esses estereótipos precisa então ser tratada com hormônios e fazer uma cirurgia para que seu corpo se adeque a esses estereótipos? Detestar o próprio corpo? Se o menino é "feminino" e a menina é "moleca" então isso é sinal de que ela "nasceu no corpo errado"?? Errado não é dizer pra essas crianças que elas precisam se encaixar nisso? Não é muito mais desafiador das estruturas patriarcais um homem que se afirma como homem e diz que homem pode usar o que quiser e continua sendo homem? Dizer que tem que ser mulher para gostar de coisas "femininas" não é exatamente anti diversidade?
Eu acredito que o Gênero é uma cartilha de regras que te entregam assim que você nasce pra te dizer que como a sociedade capitalista quer que você se comporte para que as estruturas se perpetuem, portanto precisamos questionar isso, mostrar que cada pessoa se expressa a sua própria maneira, e que ninguém deveria ter que se encaixar em caixinhas de comportamento.
Esses dias eu vi uma frase que achei muito explicativa, e pela qual uma professora americana foi rechaçada nessa última semana : Ser mulher não é ter uma "personalidade feminina" e qualquer corpo, mas sim ter qualquer personalidade e um corpo feminino. Essa frase pode ser usada para "ser homem" também.
Apesar dessa confusão eu sempre respeito os pronomes e nomeclaturas, e na verdade eu nem mesmo expresso nada desses questionamentos e acima de tudo trato a todos com muito respeito. Acredito que a única forma de chegarmos todos num consenso é conversar e debater, mas esse assunto mexe muito com traumas e com rejeição, então fica difícil que as pessoas consigam conversar sobre sem se sentirem atingidas pessoalmente e portanto o debate fica praticamente inviabilizado. É muito triste isso, e tem consequências sérias na vida de muita gente, pois mulheres são caladas, invisibilizadas, crianças são confundidas e encaixadas mais ainda nas caixinhas e ninguém pode falar nada pois se não é visto como transfóbico causador de mortes. Mesmo questionando a questão eu sempre vou ser partidária do respeito e anti qualquer tipo de violência.
Minha questão não é que as pessoas parem de se expressar como querem, mas que possam se expressar sem que isso faça com que a pessoa precise tomar remédios pro resto da vida, passar a negar e odiar o próprio corpo e principalmente que a questão das mulheres serem oprimidas principalmente pelo fato de serem geradoras de novos seres humanos e por isso precisarem ter sua sexualidade e subjetividade controladas não seja apagada pelo discurso de que "existem mulheres de pinto", pois a única coisa que TODAS as mulheres tem em comum é serem controladas por possuírem xoxota, e nada mais. Não é cor de rosa, não é calcinha, não é maquiagem nem unha grande.
Espero não ter ofendido ninguém com essa postagem, eu só precisei mesmo colocar isso pra fora porque vi uma postagem de um amigo trans dizendo que ia "desenhar pra quem não entendeu" e seguia uma série de imagens na qual a primeira dizia que uma drag queen era um homem que se expressava artisticamente com "signos de mulheres" com a foto da Pablo Vittar ( de maiô, cabelo de baby liss loiro e maquiagem ) e na hora veio um "CARALHOOOW ENTAO Q PORRA É SER MULHER???" na cabeça. Enfim, esse foi o desabafo, se alguém quiser debater ( com respeito) eu vou ficar muito feliz, porque de forma alguma tenho a pretensão de dizer que minha visão é a correta e pronto, estou muito aberta a mudar de opinião, mas pra isso é preciso um debate que seja coerente e baseado em fatos.
submitted by Balinoiss to brasil [link] [comments]


2019.07.19 06:26 taish Dez coisas que eu aprendi nesses 1295 dias de transição [e um recado]

E se pudesse voltar no tempo, diria pra mim mesma, na noite em que decidi transicionar, louca pra sobreviver, no mínimo
(E aquela versão minha não acreditaria de jeito nenhum, a cabeçuda, porque demora pra enxergar mais que um palmo à frente no meio de tanto frio na barriga)
 
 
Bonus track, bottom line, tl;dr: vai e confia, gata. Vai mesmo sem confiar, segue cambaleante, vai ainda que fracassando temporariamente, sofre se for pra sofrer pra poder passar por isso e aprender e sair dessa melhor, aprende aos tropeços, acerta e erra, dá cabeçada mesmo, que esse é o jeito. É assim pra todo mundo. Não precisa ser perfeita, porque nem as perfeitas são perfeitas — e mesmo que fossem, não seriam perfeitas. Só acredita, e quando não der pra acreditar, deita e abraça no bicho de pelúcia e chora, porque te cabe, porque tu contém todos os tempos do mundo, todas as idades: bebê, criança, adolescente, jovem e velha; dorme que vem um novo dia, que é um novo despertar da esperança. De verdade, porque cérebro cansado e sobrecarregado de ansiedade, tem horas que só o descanso salva — e um par de vezes durante essa transição salvará, literalmente. Mas vai adiante, que no adiante tem futuro, e esse futuro vai ser formado de vários presentes, e muitos deles vão ser melhores do que tudo que tu sentiu na tua vida até aqui. Porque estar na tua própria pele, conquistar teu corpo, teu espaço, teu nome, teu grito: faz tudo valer a pena. E faz justiça por aqueles e aquelas que não puderam: que essa é a nossa sina trans, de sofrer, conquistar, e inspirar.
 
Nesses três anos e sete meses, já escrevi minha vida da frente pro avesso, por dentro e por fora — em anotações que guardei, nas que joguei fora, nas que confiei que levava comigo mesmo sem anotar, e principalmente nos fóruns trans do Reddit. Já vou chegando no ponto onde vejo que transição tem final, sim — não o amadurecimento, ou as mudanças, essas seguem; mas transição, ir de A a B, essa sim, finalmente, parece abarcável e atingível. Daí que, conjugadas as inquietações múltiplas de inícios de transição que, enfim, se aquietam, e as reflexões todas que já foram refletidas, e a disforia que persiste, mas vai cedendo e sendo controlada; escrevo e transbordo e me derramo menos, e vou podendo dedicar essa energia e tempo pra outros usos. Mas até por isso, sigo aqui no nosso espaço como guardiã, pitaqueira, mana e sister e amiga legal e amiga chata e até mesmo de mod fundadora. E se boto, todas as semanas, e mesmo todos os dias, mesmo aqueles em que nem eu nem ninguém posta nada por aqui — minha energia e tempo pelo nosso sub, é porque tenho muito carinho por esse cantinho, por todos que aqui estão, e principalmente por aqueles ainda descaminhados, que nem conseguem juntar coragem de se abrir, conversar, quiçá revolucionar-se. Às vezes parecemos quietinhos enquanto sub, e às vezes pareço quietinha ou distante como pessoa, mas não se enganem: não tem espaço igual a esse na nossa faminta internet trans brasileira, e o que vamos construindo com nossas conversas, conteúdos, desabafos e suspiros, vai criando as condições pra mais e mais de nós encontrarem a informação que precisam pra se libertar. E eu estou aqui, pro que puder ajudar. Não sei muito, e minha nossa, o que eu tenho pra aprender ainda não tá no gibi! Mas enquanto eu puder, vou estar aqui pra dividir com todxs voxês. Contem comigo que, como andam dizendo por aí, tamo junto.
<3
 
E claro, um prompt pra finalizar: pra quem já transiciona, o que você diria pra sua versão rudimentar de início de transição? Se ainda não transiciona, o que espera aprender no caminho? Conta pra gente nos comentários!
submitted by taish to transbr [link] [comments]


2019.05.07 04:19 lucius1309 AFICIONADO

Apesar de toda a correria do dia a dia, procuro manter a higiene do espaço em que vivo. Limpo cozinha, quarto, sala, banheiro, lavo minhas roupas e o fogão geralmente não tem gotas de gordura ou óleo velho, nunca deixo louça suja de um dia para o outro e gosto de me organizar enchendo baldes com produtos de limpeza, molhando panos e passando rodos. Não que eu seja o maníaco da limpeza, mas toda a situação de morar uns dias na rua me traumatizou um pouco, até porque tenho pavor de ratos e aranhas, e na rua tinha que conviver com eles, e com a sujeira que qualquer cidade normal tem, e na época nada eu podia fazer pra mudar isso. Mas hoje eu tenho quatro paredes e um teto ao meu redor, e por isso tento manter em ordem.
Evitar velhos comportamentos é uma ótima maneira de criar novos hábitos.
Um dos meus principais comportamentos velhos sempre foi a falta de higiene. Meu quarto era cheio de baratas, cinzas de cigarros, camisinhas usadas, garrafas de vinho de 2 conto, latinhas de cerveja da mais fuleira, roupas sujas, paredes emporcadas e a porra toda. Eu vivia bem assim. Procurava beber o dia todo pra não ter que encarar essa situação de frente.
Mas agora não posso mais.
Sempre soube me virar nas mais diversas situações.
Certa vez eu estava saindo com uma moça, ela tinha 30 e poucos anos, sua aparência estava um pouco sofrida devido ao casamento que acabara de terminar com um alcoólatra, fora o trabalho e os dois filhos pequenos. Tudo isso somados à doença da mãe (Alzheimer) e vários problemas emocionais, principalmente relacionados à auto estima. Ficamos quase dois meses juntos, e nos primeiros dois encontros eu fui na casa dela pronto pra transar, mas ela alegou dor de cabeça. No terceiro encontro ela alegou dor de cabeça de novo, saquei do meu bolso uma dipirona e disse que não teria pressa pra esperar essa dor passar. Naquele dia transamos, e não foi exatamente como eu esperava. Acho que ela também não achou nada de mais.
Aos poucos fomos nos distanciando, acabamos perdendo contato e, os dois grandes amigos haviam se tornado dois estranhos um pro outro. Mas a partir daí, comecei a levar sempre junto das camisinhas, dipironas, pra todos os meus encontros com as mulheres que vieram depois dela. E se eu falar que nunca me ajudou, eu estaria mentindo.
Sou um completo aficionado, obsessivo e compulsivo por tudo o que a vida pode oferecer.
Coisas boas ou ruins.
Talvez seja meu problema.
Garotas de 14 anos postam em redes sociais que são "intensas demais" e por isso sofrem muito. No caso delas é drama, no meu caso é constatação real. Não que eu sofra muito, hoje tenho uma vida excelente, ganho mais do que posso gastar, transo com uma menina de 21 anos e tenho dois amigos pra dar risada às vezes, e isso tudo basta pra dizer que estou numa das melhores fases da minha vida (se não a melhor), mas todas as pancadas que levei, todas as surras que tomei, todas as vezes que tomei no cu (incluindo duas vezes em que o termo "tomar no cu" quase foi literal pra mim; e que prefiro nem lembrar), isso tudo me tornou um cara cético, que não confia em ninguém além de mim mesmo, que tem medo de deixar as coisas importantes nas mãos de outras pessoas, pelo simples receio de que essas pessoas não vão saber cuidar dessas coisas como eu cuido, não vão ter o carinho que eu tenho, e podem foder com tudo.
Eu deixo minhas memórias conduzirem a minha vida.
Sei que preciso me libertar de mim mesmo, do meu passado e viver o meu presente. Eu sei que meus comportamentos permanecem errados mesmo depois de mais de dois anos longe da garrafa, das noitadas, das putas e das brigas com traficantes.
Linhas e mais linhas de cocaína espalhadas em cima de mesas, cadernos, celulares e até nas costas de piranhas que nem lembro o nome.
Não é fácil mudar maneiras de pensar que perduraram por mais de 20 anos. Até porque sou extremamente conservador na minha maneira de pensar. Não conservador no sentido político da coisa, inclusive concordo com muita coisa que a esquerda vem pleiteando, acho nosso atual presidente um imbecil (mas confesso que dou risada vendo ele ser esse completo palhaço), principalmente em suas formas radicais de pensar, que estão colocando em risco a vida das pessoas que elegeram ele, não só da oposição.
Faz sinal de arminha agora.
Mito.
Rs.
Deixando a política de lado e voltando para a patética vida do narrador desse texto, eu tenho dificuldades de mudar maneiras de pensar, quando me abraço a uma verdade eu me abraço achando que ela é absoluta, estou sempre aberto a ouvir opiniões, mas eu sempre acho que a minha está mais certa do que a da maioria. Eu sei que isso é errado, que eu deveria mudar, mas acho que todo mundo tem tanta coisa pra mudar e também não consegue, não vai ser de uma hora pra outra que eu vou conseguir.
Até porque meu sangue não é azul e até o presente momento, meu mijo não é gasolina. Não sou mais especial do que ninguém.
Quem sabe daqui uns 40 anos eu tô no mesmo patamar de um Dalai Lama ou de uma Madre Teresa de Calcutá.
Mas hoje não.
Hoje eu saí a tarde pra comprar um chip pro meu celular, a ideia é ter um número profissional e um número pessoal, com o simples intuito de não ser tão obcecado pelo trabalho como venho sendo nos últimos dois anos. Moro num bairro super tranquilo, subi caminhando até a lan house mais próxima, comprei meu chip, paguei as doze pratas devidas e estava descendo a rua de volta pra casa quando encontrei um amigo completamente embriagado na calçada de sua casa.
"Carlos, quanto tempo que não te vejo!" e veio me abraçando sem pedir licença.
O bafo de cerveja me deixou excitado.
"Pois é André, quanto tempo mesmo. Como cê tá?" perguntei por mera educação.
"Brigando com a vida, bebendo pra caralho e nesse exato momento, juntando dez conto pra ir comprar um pino."
Olhei pra ele, dei uma risada vazia e ele retribuiu a risada.
"Escuta cara, eu vou descendo lá pra casa, depois a gente se tromba."
"Espera." ele me segurou "Você não tem os dez contos pra me emprestar não? Te pago depois, sempre paguei, cê tá ligado."
Tirei uma nota de cinco da carteira, coloquei na mão dele e saí correndo dali.
Sei que o mais correto seria tentar ajudar, chamar ele pra ir pra um alcoólicos anônimos ou coisa assim, perguntar se ele queria ou não conversar sobre a vida de merda que ele vinha levando, mas eu não sou esse cara. Tudo o que eu mais quero é salvar meu próprio rabo do meu pior inimigo (eu mesmo, no caso), e não tem sido fácil, e não vai ser nunca. Essa luta comigo mesmo nunca vai acabar, e é mais fácil que eu aceite isso logo e faça o melhor por mim, não pelos outros.
Muitas vezes eu tenho vontade de sumir, não me matar, a ideia de me matar hoje é obsoleta pra mim, uma vez que tentei oito vezes e não fui, então desisti. Esse negócio de morrer não é comigo. Mas sumir no sentido de deixar todas as pessoas que conheço pra trás, abandonar família e recomeçar em algum lugar nesse ou noutro país. Pegar o dinheiro que tenho guardado, beber metade dele e a outra metade, beber também. Com alguma sorte eu chegaria à alguma conclusão, e adquiriria uma consciência plena de todas as coisas (ou uma cirrose hepática, que seja), mas sumir não resolveria meus problemas de anos e anos, e uma hora eles voltariam com mais força ainda. Obviamente eu não saberia resolvê-los.
Como ainda não sei.
Por enquanto venho fazendo o simples, limpando a casa e deixando tudo o mais organizado possível. Tentando tirar cochilos pela tarde e deixar meu telefone desligado nos meus dias de folga. Não querer fracassar já é uma maneira sutil de vencer. Levantar da cama todos os dias pra fazer o simples, já é uma grande vitória pra um cara que há quase três anos atrás estava bebendo quinze ou vinte dias sem parar, esperando a morte vir buscá-lo.
Não que eu seja melhor ou pior, eu só cansei de sofrer como tava sofrendo. E decidi tentar. E tá dando certo.
Só por hoje tá dando certo.
submitted by lucius1309 to desabafos [link] [comments]


2019.02.19 19:48 PedroLight Lennado Caboclo

>Antes de tudo, um disclaimer simples.

Não tinha como eu contar de tudo do Lennado nessa música, tanto pela quantidade de estrofes, e por eu querer manter essa modificação tão fiel à original quanto possível. Tomei pequenas liberdades artísticas pra citar os eventos aqui, mas nada que beire muito na irrealidade. É bom notar, também, que eu prezei mais manter o ritmo e a qualidade geral da música, sem muita repetição do que o tamanho dela, então, por isso, algumas estrofes foram cortadas e, como disse sobre a liberdade artística, alguns eventos foram levemente modificados. Qualquer dúvidas quanto a isso, só me chamar na DM ou em algum comentário. De qualquer forma, acho que isso conta bem os eventos de forma lírica.


---


Tinha muita cabeça o tal Lennado da Disney Foi o que todos disseram quando ele nos fudeu Deixou na taverna toda a raiva da sua piroca Só pra sentirmos no sangue o ódio que Jesus lhe deu


Quando criança só pensava em ser mendigo Ainda mais quando um apartamento o pai lhe deu Era o terror da cidade onde morava E nem na escola a quarentena o conteu


Ia pra casa só pra gozar no ursinho da cunhada Que seu irmão colocava em sua casa sem nada esperar Sentia mesmo que era mesmo um doente Sentia que aquilo ali não era o seu lugar


Ele queria ser um mendigo sem nem um kitnet Pra ganhar sopinha de graça com azeite Tentou conhecer pessoas em site da internet De escolha própria, escolheu o kongregate


Comia todos os ursinhos da cidade De tanto falar merda, aos 12 era silenciado Aos quatorze foi mandado pra taverna Onde aumentou seu ódio diante de tanto mod opressor


Não entendia como o server funcionava Criou um cargo pra cada letra e sua cor Nunca cansou de ganhar poder e moderar E como rejeitado social, continuava no servidor


E lá chegando foi falar várias merdas E encontrou um admin com quem foi conversar E o admin não aguentava tanto lixo Ia o banir e não tinha como reclamar


Dizia ele: Eu não aguento suas doenças Neste servidor, gente pior não há Tô precisando resolver essas doença Eu fico aqui e bano você sem chorar


E Lennado aceitou sua proposta E num clique foi banido e viajou pra outro servidor Ele ficou impressionado com o povo de lá Saindo da rotina, lembrou que tinha um pau


Meu Deus, mas que servidor lindo Amanhã eu começo a shitpostar Ser doente, jogar osu!, roblox e lol Ganhava rep de gente que iria o admirar


Na sexta-feira manda mapa no servidor Achava que era cartógrafo, não era nem trabalhador E isso aos membros só causava tremor Até um tal de Gurga, um homossexual sem temor


Um brasiliense que vivia na Disney E um tanto de merda ele fazia lá Seu nome era Gustavo e ele dizia Que um negócio ele ia começar


E Lennado até a morte fazia mapa Mas a reputação não dava pra ele se sustentar E via toda hora alguém falando Que sempre dizia que pra taverna alguém iria convidar


Mas ele não queria mais conversa E decidiu que, como Gurga, ele iria se virar Elaborou mais uma vez seu plano santo E sem ser glorificado, o seu pau foi preparar


Logo logo o Jukeys do servidor ficou sabendo da novidade Se rodar no seu PC, vou mandar foto do pinto! E Lennado ficou impressionado E falou mais merda do que quase qualquer um ali


Não tinha amigos, frequentava o banco do bar E jogava jogo de bloquinho pra se libertar Mas de repente Sob uma má influência dos doentes do lugar LoL ele foi jogar


Já na primeira partida ele se apaixonou E pro inferno ele foi e não vai se arrepender Era melhor que tivesse estupro de seu corpo Vocês vão ver, ele vai fuder com vocês


Agora o Lennado era Lolzeiro Ninguém o aguentava no chat geral Não tinha nenhum medo de admin Moderador ou membro normal, devido ao seu pau


Foi quando conheceu um novo vício E de todas as suas atrocidades ele não se arrependeu Osu! era o nome dessa droga E o coração dele, pra ela o Lennado prometeu


Ele dizia que queria só jogar E ainda mais doente ele tornou a ser Osu! pra sempre vou te amar E um filho com você eu quero ter


O tempo passa e um dia vem na porta O Pedro sem nenhuma classe com dinheiro e 2 keys E ele faz uma proposta indecorosa E diz que espera uma resposta, uma resposta do Jukeys


Mando foto do meu pau Tenho coragem, mas afirmo que não sou gay não Mas com certeza te afirmo Que pra isso eu tenho uma condição


E é melhor TESO rodar no seu computador Se não eu não mando foto do pau, não sou louco não Mas antes de comprar, com ódio no olhar, o Pedro disse Vai mandar foto do pau, meu irmão


Vai mandar foto do pau, meu irmão Vai mandar foto do pau, meu irmão Essas palavras vão entrar no coração O Jukeys vai mandar foto do pau, ah não


Jukeys, criança religiosa sem-vergonha Perguntou do snowball cannon e fez todo mundo chorar Imaginou que fosse alguém interessante Se dizia que era crente, mas não sabia rezar


E Lennado há muito não fazia alguma atrocidade E a saudade começou a apertar Eu vou pra lá, eu vou falar um tanto de merda Já tá em tempo de à humanidade decepcionar


Chegando no servidor então ele observou E pro inferno ele nos iria levar pela segunda vez Jukeys a foto do pinto não mandou E o Pedro o iria fuder dessa vez


Lennado era só plutônio por dentro E então no canal de putaria uma foto ele postou Pedro acabou tendo que olhar E foi nesse momento que ele se decepcionou


Pode pensar o que quer que seja Não há como fazer ninguém sentir mais dor Gabs ficou triste com o que viu Aquele crime, um atentado ao pudor


E o Lennado não sabia o que fazer Quando viu o seu pau virando motivo de chacota Que virou notícia na call a se ver Por motivos óbvios, não precisa se perguntar a razão


E Lennado com seu pau de cogumelo Viveu sem se arrepender Virou uma entidade em um culto E uma mulher, nunca vai comer


E o povo declarava que Lennado da Disney Era deus pois a radiação de seu pau não conseguia se conter E a moderação do chat Não esqueceu da história que viram acontecer


E Lennado conseguiu o que queria Quando veio pro Discord, com o diabo ter Ele queria provar pra todo mundo, Provar pra essa gente que o seu pau só faz


Sofrer
submitted by PedroLight to Lennado [link] [comments]


2019.02.12 17:22 capytim Com medo de ser quem sou.

Eu nasci e fui criado na igreja. Meu pai é pastor, então tava sempre indo. Meus pais se separaram quando tinha 6-7 anos, desde então eu sempre fiquei me afastando e voltando para igreja, mas eu nunca deixei de acreditar em Deus.
Depois que comecei a fazer um pré-vestibular e tive aulas de filosofia de qualidade e depois que comecei a faculdade, comecei a pensar de forma mais crítica em relação a tudo que já acreditei. Isso inclui a fé. Tem coisas que leio na Bíblia, por exemplo, e faz mais sentido pra mim ser um relato de uma era bem passada do que a palavra de Deus mesmo. Faz todo sentido do mundo algo como assassinato ou roubo ser pecado, mas não faz sentido algum algo como fornicação e relações homossexuais serem. Porém sinto que não posso conversar muito sobre isso com irmãos da igreja, pois fico parecendo um herege. As poucas pessoas que conversei a respeito me disseram que é preciso ter fé, mas como ter fé quando preciso de sentido e lógica?
A hipocrisia que vejo (as vezes até em mim) está me desgastando, e sempre que falo algo a respeito, tudo que todo mundo tem pra dizer é que se eu olhar para os humanos da igreja, eu realmente só vou me decepcionar. Mas eles são literalmente os únicos seres que posso olhar. Feitos a imagem do Criador.
Eu tenho 24 anos, sou virgem, e isso mexe comigo por que por duas décadas eu acreditei que tava fazendo o que era certo, mas agora sinto que to me privando de algo bom não por que é o que Deus quer pra mim, mas por causa de um povo de milênios atrás que valorizava virgindade pois mulheres eram mercadorias e a virgindade era o selo de qualidade.
E eu já senti o amor de Deus. Hoje em dia eu já não sei se eu realmente senti algo que estava lá, ou se foi uma produção da minha cabeça. Estou preso numa dissonância cognitiva há anos. Sinto que algo que já me confortou, hoje me aperta como correntes. E não sei o que fazer.
Sinto que quem eu sou é alguém que quer se libertar de tudo isso, mas ao mesmo tempo isso é algo que me assusta. Não tinha onde mais falar, então estou aqui falando com vocês. Obrigado pela atenção.
submitted by capytim to desabafos [link] [comments]


2018.12.19 20:13 rokoeh Pra quem está no banheiro agora

Tipos de cocô
1- FANTASMA: Você sente sair, vê o bicho no papel, mas não tem nada na privada;
2- CLEAN: Você sente sair, o bicho tá lá na privada, mas o papel tá limpinho;
3- MOLHADINHO: Depois de limpar a bunda umas 50 vezes, você ainda sente que não tá limpo, então você embola papel higiênico entre o rabo e a cueca pra não borrar;
4- GOSTINHO DE QUERO MAIS: Acabou de puxar a descarga, já puxou as calças até o joelho e de repente tem que começar tudo de novo;
5- HEMORRAGIA CEREBRAL:Aquele que requer tanta força que você fica todo roxo e quase tem um derrame;
6- ESPIGA DE MILHO: Auto explicativo;
7- TORPEDO: Tão grande que dá medo de puxar a descarga sem antes quebrar no meio com o cabo de uma escova de dentes;
8- ALCOÓLICO ANÔNIMO: Aquele feito na manhã seguinte a uma noite de bebedeira. Deixa uma marca longitudinal na porcelana após puxada a descarga.
9- CHAMA O ENCANADOR: Tão grande que entope o vaso e a água transborda, você deveria ter seguido a dica do 'TORPEDO'
10- CABELUDO: Aquele que você encontra na privada dois dias depois de expelido, quando a descarga não funciona, naquela altura inchado até ficar da grossura do seu antebraço;
11- EMBORA EU QUEIRA: Quando você fica sentado com uma puta dor de barriga mas só peidando, particularmente frustrante em banheiros públicos;
12- CAMINHÃO BASCULANTE: Sai tão rápido que mal dá tempo de sentar;
13- AERÓGRAFO: Versão diarreia do 'CAMINHÃO BASCULANTE' antes mesmo de você sentar BUM! Uma carga explosiva recobre todo o interior do vaso de uma camada mais ou menos uniforme de respingos. A água continua limpinha;
14- IÔ-IÔ: Aquela que requer uma força enorme para sair, e assim, que ela bota a cabecinha pra fora, você relaxa os músculos do abdomen e ela volta pra dentro;
15- EFEITO ILHA: Uma massa marrom e disforme saindo pra fora da água;
16- HÉRNIA DE DISCO: Variante do 'HEMORRAGIA' requer tanta força que você acha que tá saindo pelo lado;
17- ACHO QUE ESTOU PARINDO PELO CU: Um cruzamento de 'TORPEDO' com ' HÉRNIA DE DISCO', o produto assemelha-se em tamanho e formato a uma lata de batatinhas Pringle, depois que sai sobra um espaço vazio no reto (vulgo oco, Guina aprova);
18- RABO DE MACACO: Não para de sair, tipo pasta de dente, você tem duas escolhas: ou ir puxando a descarga e continuar mandando brasa, ou, arriscar-se a ver o bicho ir empilhando até chegar na sua bunda;
19- ACHO QUE ESTOU VIRANDO UM COELHINHO: Um monte de cocozinhos redondos que parecem bolinhas de gude e que fazem barulhinho ao cair na água;
20- ELEVADOR: Desce de uma vez. movimento retilíneo uniforme;
21- TARZAN: Só sai com o auxílio vocal;
22- PROMETO MASTIGAR MINHA COMIDA MELHOR: Quando o pacote de Doritos da noite passada parece vidro moído ao descer;
23- MORREU UM BICHO AQUI DENTRO: Também conhecido como Lixo Tóxico, é claro que você não avisa ninguém do odor do infecto. Em vez disso, você fica disfarçadamente perto da porta do banheiro fazendo força pra não dar risada enquanto as pessoas saem correndo e engasgando ali dentro;
24- AINDA TEM UM PENDURADO: Tem de esperar pacientemente o último pedaço cair, porque se você tentar limpar agora vai borrar tudo;
25- LANÇA-CHAMAS: Chamusca os pelinhos, faz você jurar nunca mais chegar perto de acarajé;
26- TONER: A única prova material de todo seu esforço é um ligeiro escurecimento da água;
27- PRIMOGÊNITO: Tão perfeito, marrom e saudável que dá pena de puxar a descarga;
28- MIGUÉ: Poderia muito bem ser um 'PRIMOGÊNITO', mas se esconde no vão da privada antes que você possa apreciar.....
29- SE SEGURAR O MIJO VAI: prende-se a piroca mole, fazendo ter pressão na bexiga, que ao tentar ter mais espaço esmaga o reto obrigando a merda a sair
30- PARINDO A PUTA QUE PARIU AH?: dói tanto, mas tanto, que você chega a soar fazendo força
31- FEIRA: Pode ser do tipo alface ou do tipo beterraba(vermelhinho), depende do que sua mãe comprou na feira do dia anterior. O famoso ESPIGA DE MILHO é um derivado.
32- HOMEM ELÁSTICO: Você começa a cagar e não consegue parar, como se tivesse cagando infinito, pra descer na descarga tem que cortar em pedaços e socar com o desentupidor, parece que você tá fazendo uma caipirinha de bosta.
33-MULHER INVISÍVEL: Você caga, mas não sai nada no papel higiênico e não tem nada na privada, pra se curar de cagar assim tem gente que faz psicanálise, regressão, fisioterapia, é tenso.
34-O COISA: É aqui que a porra fica séria, é aquele cocô gigantesco que pesa 5 kg e é duro de cagar, você precisa de uma torcida que fique na porta do banheiro e de um cu com superforça, caso contrário você quebra todos os seus ossos, mas se conseguir dá vontade de registrar o cocô no cartório com o seu nome.
35-TOCHA HUMANA: O mais perigoso, taça fogo no seu cu, o nome científico é "Tobas Ardentus". Suja toda a privada, suja toda a sua bunda, depois demora uma semana pra limpar a merda, parece que você deu um hadouken com o cu. 36-SUJEIRENTO: O cocô que dá mais raiva, aquele que joga água no cu e deixa seu cu todo sujo da bosta que você cagou antes.
Maneiras de dizer que vai cagar
Vou fazer o número 2. Vou soltar um barro. Vou materializar minha opinião sobre a eleição da Dilma. Vou ali passar um fax pro beltrano, ciclano, etc. Vou mandar o elevador pro térreo. Vou ali quebrar a louça. Vou chapiscar a porcelana. Vou fazer churros com a minha própria máquina. Vou ali fazer rapel sentado. Vou mandar os neguinhos pra nadar. Vou afogar o Nelson Mandela. Vou fazer um espetinho sem palito. Tô recebendo um fax de Boston e preciso repassar pra Chicago. Vou plantar árvore no rio. Vou acompanhar aquele meu amigo que veio lá do interior e está indo pro Rio. Vou sujar a barba do marujo. Vou cortar o rabo do macaco... e já volto. Vou ali cortar o charuto. Vou construír uma barragem. Vou ali tirar o plástico da mortadela. Me deu vontade de tirar a tartaruga do saco. Dá licença que eu vou dar uma barrigada. Vou dar uma borrada na porcelana. Vou fritar o acarajé. Já volto. Vou fritar um quibe na água fria. Vou fazer um download… Vou fazer um deploy. Preciso esvaziar o buffer. Tenho que formatar o HD - o hintestino delgado. Vou fazer um bolo... um bolo fecal! Vou bostar no Twitter… Vou ali conversar com a Tia Deca. Vou ali que o Pelé já tá calçando a chuteira... Vou ali falar com Ari Barroso… Vou afogar o moreno... Vou dar comida pro Seu Celite. Vou lá no banheiro enviar um e-mail e já volto! Vou alí porque o esquilo tá saindo da toca. Vou fabricar um boneco de argila cotoco de braço e de perna. Vou tirar o quibe da garagem. Vou dar uma chapiscada na louça!!! Vou fazer um depósito do Produto Interno Bruto Vou levar o tinga no toboágua. Vou na casa do pedrinho. Vou alisar o moreno Vou fabricar um chokito. Vou escorrer um aipim. Vou dar comida a bocão! Vou lá cortar o Churros…. Vou soltar a trança! Vou ali soltar um trem-bala. Vou decorar a porcelana! Vou assinar a lei áurea!! Vou ao Banco de Boston fazer um depósito bruto Vou mandar um Sedex para as Tartarugas Ninja Vou ali compor uma música profunda pro Caetano Veloso e já volto. Vou ler as novas notícias políticas na veja e já volto Vou brincar de fazer ilha… Vou despachar um deputado Vou ali desempacotar o Negresco. Vou enviar um e-mail com anexo pra presidência dizendo o que acho sobre a corrupção! Tô com vontade de desfragmentar o HD Vou tirar o pardal da gaiola Vou lá fazer uma revisão no escapamento Vou ali jogar a âncora no mar Vou obrar Vou descomer Vou passar um fax (esta é clássica) Vou visitar a minha amiga pri... (privada) Vou escorregar o moreno! Vou mandar o Pelé pra aula de natação Vou libertar meu amigo Vou vender barro Vou soltar a besta-fera Vou fazer churros.Alguém tá servido? Vou mandar um fax pra Sabesp (ou a companhia de saneamento da sua região) Vou soltar um barro duro!!! Vou jogar batalha naval (Acabei de Afundar uma Embarcação) Vou criar arte Barroca!! Vou Ali causar um Prejuízo. Vou ali Sustentar Brasília! Vou Meter Chumbo na Pri... (vada) Sabe o que eu vou fazer? Hidreto de potássio! Não entendeu? KH! Vou ali no escritório... 
Cagar também é poesia:
Cagar todo mundo caga
Cagar é a lei do universo
Até Dom Pedro cagou
E cagando faço esse verso
E por falar em cagar
Me veio assim de repente...
Um trôço curto e grosso...
Que quase rasga o cú da gente.
Outra linda poesia:
Cagar é uma sensação profunda;
O cocô bate na água;
E a água bate na bunda;
Mais uma:
Mijar fora do vaso
É coisa de momento
Cagar fora do vaso
É cú fora do centro
Mais uma linda poesia dedicada aos Poetas de banheiros:
Dos prazeres que existem sem pecar
O mais gostoso é cagar
O cu fica satisfeito
E a merda no devido lugar.
Cagar é um prazer do qual ninguem escapa
Caga o rei, caga o papa, caga o boi, caga a vaca até a garota mais linda
Faz suas bolinhas de caca.
É triste amar sem ser amado,
e mais triste ainda é cagar sem ter almoçado.
Não há prazer mais gostosinho
Que cagar devagarzinho.
Os escritores de banheiro são poetas por vocação
Que buscam na merda sua fonte de inspiração .
Neste lugar sagrado onde tanta gente esvazia a pança ,
A mulher passa o papel e o homem simplesmente balança.
Neste lugar tão único que recebe tanta gente,
Faz força o mais covarde e se caga o mais valente. Cague pela manhã ou pela tardinha, mas por favor não esqueça de puxar a cordinha.
Merda não é tinta, dedo não é pincel, quem quiser limpar o cu, faz favor usar o papel.
Gosto tanto de você que não te esqueço nem cagando , cada peido que eu solto é um beijo que te mando .
Aqui jazem os restos mortais deste olímpico tolete primordial que lutou de forma heróica
para sair do orifício anal.
Fonte: https://desciclopedia.org/wiki/Cagar
submitted by rokoeh to brasil [link] [comments]